Cidadeverde.com

Tecnologia gera mais segurança para condomínios

Com o aumento da violência nas cidades é cada vez mais necessária a implantação de mecanismos de segurança em casas, prédios e condomínios residenciais. E um grande problema para quem mora em condomínios é o controle de quem entra e sai, desde moradores até visitantes e prestadores de serviço. Isso porque para que o acesso seja somente para as pessoas que têm autorização é necessário o envolvimento dos funcionários, dos moradores e também o bom funcionamento dos equipamentos como portões e interfones.

Além disso, em muitas portarias, a guarita não oferece a segurança necessária para o funcionário, que pode ser facilmente rendido por assaltantes. De forma que algumas situações podem deixar o condomínio suscetível a entrada de pessoas estranhas.

E a tecnologia tem sido uma grande aliada para melhorar a segurança dos condomínios. Uma alternativa para evitar assaltos e ainda reduzir as despesas é a Portaria Remota, um sistema de controle e gerenciamento do acesso de condomínios à distância. Atualmente o sistema Kiper está em funcionamento em mais de 600 condomínios em todo o Brasil e começa a ser implantado agora em Teresina.

"Na Portaria Remota, o porteiro fica localizado em uma sala de monitoramento de uma empresa de segurança, não mais no condomínio, e tem seu trabalho supervisionado 24h por dia, sete dias por semana", explica o especialista em segurança empresarial e em portaria inteligente, Odirley da Rocha. O especialista estará em Teresina no dia 24 de agosto para ministrar o Seminário “Segurança em Condomínios”, que acontecerá no Blue Tree Hotel às 18h30.  

Com o sistema, cada morador possui um controle remoto anticlonagem para o portão da garagem e para o portão de pedestre ele utiliza um aplicativo (QR Code) de celular ou uma tag (cartão) de acesso, que vão dar acesso ao condomínio. No caso da perda ou roubo de qualquer um dos mecanismos, o morador liga para a central e faz o bloqueio imediato deles. Também existe um sistema de pânico silencioso, que pode ser acionado em situações de risco. Já o visitante ou prestador de serviço vai se identificar normalmente no interfone, que possui áudio e vídeo, sendo atendido na central que entrará em contato com o morador para autorizar ou não sua entrada. "No caso de eventos, como uma festa, por exemplo, o morador manda um convite de QR Code para os seus convidados do próprio celular. O que vai permitir a entrada somente de quem foi convidado", destaca Odirley da Rocha.  

E para evitar problemas com sinal instável de internet, a Portaria Remota utiliza um link, de rádio ou fibra óptica, entre o condomínio e a empresa. O que garante a qualidade do áudio e da imagem, sem perigo do sinal cair. O sistema ainda possui um mecanismo que resiste a no mínimo dez horas sem energia elétrica e que beneficia o funcionamento do interfone e dos portões de pedestre e da garagem. 


Segundo o especialista, outra vantagem da Portaria Remota é que ela garante a gravação remota de áudios e vídeos de moradores, visitantes e prestadores de serviços. Além de melhorar a segurança do condomínio, o sistema ainda gera uma redução dos custos da portaria em até 50%. "Para manter uma portaria funcionando, normalmente é necessária a contratação de quatro funcionários, que geram gastos com salários, impostos e outros encargos. E hoje também se sabe que, em alguns casos, os porteiros passam muito tempo ociosos no prédio.

Com a Portaria Remota, todos os custos com atendentes de portaria estão incluídos na contratação do serviço e também a manutenção dos motores dos portões e interfones, o que gera redução de gastos e economia para o condomínio", esclarece Odirley.