Cidadeverde.com

Emerson Silva retorna ao Piauí após treinos em Portugal e quer lutar por vaga na seleção

Foto: Reprodução/Instagram

Emerson Silva em Portugal. Judoca treinou no país do fim de fevereiro ao início de outubro

Há oito meses, Emerson Silva foi embora para Portugal sem fazer alarde. Deixou de treinar no Brasil mesmo tendo liderado o ranking nacional e integrado a seleção brasileira Sub-18 de judô recentemente. 

Do outro lado do Atlântico, o judoca que lavava carros - história que o tornou conhecido nacionalmente antes dos seus feitos - treinou em clubes como o Benfica, Judô Clube Lisboa e até com atletas da seleção portuguesa. 

- Foi uma decisão que eu tomei para poder passar um tempo na Europa treinando. Foi uma coisa muito boa para mim.  

No início deste outubro, o Emerson Silva voltou a Teresina para cuidar de questões pessoais, documentos, etc. Acabou conversando com os professores Abdias Queiroz Filho e Fabieldo Torres, com os quais treinava em Teresina antes de embarcar na aventura europeia. 

A dupla convenceu Emerson a ficar no Piauí antes dele comprar a passagem de volta.

Foto: Fábio Lima/Cidadeverde.com

- Realmente, eu vim a Teresina só para resolver alguns assuntos que estavam pendentes. Mas, como eu tenho grandes senseis, que são pessoas exemplares, que conversaram muito bem comigo. E como eu amo eles, posso falar isso, eu resolvi ficar e representar a cor da bandeira do nosso estado do Piauí. 

A conversa com Fabieldo Torres não foi presencial. O treinador está em Fortaleza (CE), onde recebeu um coração novo no último março - ele deve ter alta definitiva do transplante em novembro. 

- Ele é um grande professor e abdica muito do tempo dele para estar com os atletas. Às vezes ele deixa a mulher dele sozinha em casa para estar com os atletas treinando e viajando. Tem que reconhecer isso e saber que ele é um grande professor, e que ele está fazendo falta para o judô piauiense. Mas logo, logo, ele vai estar de volta. 

A intenção de Fabieldo é voltar ao Piauí com Emerson, após a seletiva da seleção brasileira sub-21, marcada para os dia 8 e 9 de novembro, na capital cearense. A participação do atleta é que não está confirmada. 

Os professores tentam resolver pendências deixadas pelo judoca por sua ida para Portugual - por ter competido lá, ele ainda não foi autorizado a defender a Associação Judô Queiroz, seu clube no Piauí, em torneios no Brasil. 

Foco na seleção brasileira
Emerson Silva lutava na categoria superligeiro (até 55kg). No judô, só há disputa por vaga no ciclo olímpico a partir da categoria ligeiro (até 60kg). 

O judoca afirma que, em Portugal, ganhou confiança para fazer a transição e buscar vaga não só na seleção brasileira sub-21, mas na equipe principal. 

- Eu treinei muito com os atletas da seleção de Portugal na categoria até 60kg e eu vi que posso chegar na seleção principal. Basta eu querer. 

Além dos treinos, Emerson Silva diz ter crescido como pessoa. Passar todos esses meses fora de casa, tendo de se virar sozinho, foi uma experiência enriquecedora. 

- Eu tive que fazer muitas coisas em Portugal além dos treinos. Realmente, eu tive que trabalhar às vezes. Mas isso é muito bom para a reconstrução do homem, para ele saber que as coisas não vêm fácil. Você tem que ir lá e buscar. 

E lá vai o Emerson, vestir seu quimono e buscar uma vaga na seleção brasileira.