Cidadeverde.com

Piauí se segura, atacantes não desencantam e River segue sem vencer em 2020

Foto: Victor Costa/River A.C.

Atualizada às 20h58

Foram várias chances desperdiçadas, mudanças para tornar o time mais ofensivo, mas nada adiantou. No primeiro jogo oficial de 2020 diante de sua torcida, o River empatou em 1 a 1 com o Piauí Esporte Clube, pela segunda rodada do Campeonato Piauiense. A partida foi disputada na noite deste domingo (26), no estádio Albertão, em Teresina (PI). 

O Galo segue sem vencer na temporada: uma derrota em amistoso (3 a 2 para o Sampaio Corrêa-MA), um empate (com o Piauí) e uma derrota no Campeonato Piauiense (2 a 1 para Picos), e um empate na Copa do Nordeste (1 a 1 com o Náutico). 

Mais que a falta de vitórias: os atacantes não conseguiram desencantar: Érico Júnior, Valdo Bacabal, Luccas Brasil e até o estreante Romário, que entrou no segundo tempo, tentaram várias vezes. Mas quem fez o gol do Galo foi o meia Bismarck - e isso segundos depois do Piauí abrir o placar com Pitombeira, cobrando falta no segundo tempo. 

O Piauí chega a 2 pontos na competição e volta a jogar na próxima quarta-feira (29), fora de casa, contra o Altos, às 16h. No mesmo dia, o River, que somou seu primeiro ponto no torneio, viaja para o litoral, onde enfrentará o Parnahyba, às 20h. 

Primeiro jogo sem Eduardo
Lesionado, o atacante Eduardo viu a partida em uma cabine do estádio Albertão, acompanhado da namorada. De longe, ele viu Érico Júnior assumir a vaga no time titular e Romário, ex-Ceará, aparecer pela primeira vez no banco de reservas. 

Viu também a primeira chance real de gol do Galo, aos 16 minutos: Érico Júnior cruzou da direita para Valdo Bacabal, na pequena área, chutar por cima do gol. 

Eles continuaram tentando. Aos 23, Bacabal tocou de calcanhar para Érico, que finalizou para fora. Três minutos depois, Érico retribiu cruzando para Bacabal, que cabeceou a bola ao lado da trave. 

Se com eles a bola insistia em não entrar, com Luccas Brasil foi do mesmo jeito. O camisa 11 dominou e girou dentro da grande área, mas o chute passou perto da trave do Piauí. 

E as chances desperdiçadas se repetiram. Aos 33, Bismarck cobrou escanteio na cabeça de Érico Júnior, que mandou nas mãos do goleiro Chicão. Seis minutos depois, o mesmo Érico driblou um marcador, tabelou com Bismarck, driblou outro jogador e chutou na rede pelo lado de fora. 

Aos 40 minutos, veio o gol... anulado pela arbitragem. Na jogada mais repetida do primeiro tempo, Érico Júnior cruzou do lado direito e Valdo Bacabal cabeceou para o gol, mas o árbitro marcou falta do atacante riverino no zagueiro Luan. O time tricolor contestou.  

Aos 44, em novo escanteio de Bismarck, Bacabal cabeceou e Chicão teve mais trabalho para defender. Mas nem quando o goleiro do Piauí se atrapalhou ao sair com os pés na sequência da jogada, o River conseguiu aproveitar para abrir o placar. 

Segundo tempo: ação e reação
No intervalo, Biro Biro entrou no lugar de Mateus Muller na lateral esquerda. O técnico Márcio Goiano buscava ser mais ofensivo contra um Piauí, cuja principal proposta parecia mesmo se segurar enquanto pudesse e apostar em uma bola no contra-ataque. 

A primeira grande chance do segundo tempo veio aos 8 minutos. Valdo Bacabal mergulhou para cabecear a bola cruzada do lado direito, mas Chicão fez boa defesa e mandou pela linha de fundo. 

Passados 15 minutos, Márcio Goiano resolveu mudar mais uma vez e promoveu a estreia de Romário no lugar de Bacabal. 

Aos 23, o bordão "quem não faz, leva", foi colocado em prática. Pitombeira cobrou uma rara falta marcada a favor do Piauí. A bola desviou na barreira e enganou o goleiro Mondragon. Na primeira chance de gol, o Piauí abriu o placar. 

Com o castigo aplicado por todos os gols perdidos, o River parece ter sido libertado da maldição do "quem não faz, leva" e, finalmente, marcou no minuto seguinte. Bismarck recebeu passe na grande área, girou e chutou para empatar o jogo.

O River parava investidas do Piauí com faltas e afastando a bola para escanteio, que o time rubroanil cobrava sem a menor pressa. Sem elas, o jogo foi interrompido com atletas caídos, pedindo atendimento médico.
 
O Galo, que agredia menos em relação ao primeiro tempo, começou a buscar o gol de forma mais assodada nos acréscimos. Aos 46, Biro Biro cruzou do lado esquerdo e Bismarck chutou em cima de Luan, que tirou a bola quase em cima da linha, no que poderia ter sido a virada tricolor.