Cidadeverde.com

Risco de coronavírus cancela torneios de badminton e frustra piauienses

Foto: Analice Borges/Arquivo/Cidadeverde.com

Em busca de pontos no ranking mundial para conquistarem vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, atletas de badminton do Piauí foram surpreendidos com o cancelamento de torneios internacionais em função da ameaça do coronavírus. 

Jaqueline Lima, Fabrício Farias, Sâmia Lima e Francielton Farias tinham participação confirmada em torneios na China (onde começou o surto do novo vírus), Polônia e Alemanha. As competições nos três países foram canceladas. E sem ter como jogar, não há como pontuar e subir no ranking. 

O último torneio cancelado foi o German Open, que deveria ocorrer em Mülheim, entre 3 e 8 de março. A notícia fez os irmãos Fabrício e Francielton publicarem um desabafo em suas contas no Instagram:



"Extremamente desapontado com o cancelamento do torneio da Alemanha. Honestamente, já não é fácil competir em alto nível e muito mais que isso é buscar torneio com pontuação alta como este para a classficação olímpica."

A agenda dos piauienses prevê participação em um aberto na cidade de Basel, na Suíça, entre 17 e 22 de março. Não há informação sobre possibilidade de cancelamento desse evento. 

Dono de três medalhas de bronze nos Jogos Pan-Americanos de 2019, o quarteto piauiense competiu, na semana passada, no aberto da Áustria. Os atletas foram eliminados das disputas de duplas na segunda fase. Durante a viagem, os altetas usaram máscaras nos aeroportos por onde passaram. 

Francisco Ferraz, presidente da Confederação Brasileira de Badminton (CBBd), vê fragilidade na gestão de risco dos países e da federação internacional para lidar com o coronavírus. Agora, o dirigente faz contas das chances que restam para os atletas. 

- A situação a cada dia que passa complica porque a quantidade de torneios necessários para a gente fazer para pontuar começa a diminuir. (...) Vamos ficar atentos aos comunicados dos eventos nas próximas competições. 

O prazo para classificação pelo ranking mundial de badminton termina em abril. Se a pontuação mínima não for alcançada, há possibilidade de vaga por meio de cota destinada ao continente.