Cidadeverde.com

Vanderlei Cordeio de Lima fala de Cruz Nonata, patrocínio e Copa; veja entrevista

Pouca gente sabe, nem todo mundo viu, mas o medalhista olímpico Vanderlei Cordeiro de Lima, bronze na maratona de Atenas em 2004, esteve em Teresina no fim de semana passado. O ex-corredor foi o padrinho da Corrida da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (APCEF), no último domingo.

Fotos: Fábio Lima/Cidadeverde.com

- Sempre quando venho recebo esse carinho imenso. Fico muito feliz por isso, ter esse reconhecimento - disse Vanderlei, que conversou com o blog logo após a prova. Veja o que ele disse ao Cidadeverde.com:

Uma das principais atletas do Piauí é a Cruz Nonata. Você tem acompanhado o desempenho dela?
É uma grande atleta, uma atleta que tem realmente potencial para chegar em uma Olimpíada e brigar por um grande resultado. Assim como ela, outros talentos estão aqui no Estado. O que faz que eles possam mostrar o seu potencial são provas como essa, que dão visibilidade para eles. Quanto mais eventos tivermos, mais oportunidades os atletas vão ter de mostrar seu potencial. E é aí que vamos descobrir os novos talentos. O Piauí é um celeiro de grandes atletas. A gente sabe da dificuldade,  principalmente de quem está no interior, para ter oportunidade e incentivo. Mas é importante que essas pessoas nunca percam a esperança. Sempre estejam lutando e buscando seus incentivos. 

Você falou em dificuldades e a própria Cruz Nonata foi atingida por um corte de patrocínio. Como você vê essa situação da falta de apoio ao esporte no Brasil?
É bastante complicado. Há uma carência muito grande para atender uma demanda crescente. É muito difícil, principalmente o atleta que se planeja, se programa para competições e campeonatos, chega no momento e ele não tem aquele suporte necessário para desempenhar o seu papel e buscar o resultado. Fica muito difícil você fazer um planejamento. Muitas vezes, quando o atleta chega lá, é por mérito próprio. Essa dificuldade existe. Então tem que saber lidar com ela. Mas é muito difícil para a vida do atleta. 

Você tem acompanhando as questões relacionadas a Copa do Mundo? O que tem achado das discussões em torno da organização e os protestos?
Eu acho que o que está sendo mostrado é a realidade. Nós não devemos fugir da nossa realidade. O Brasil está passando por um momento muito difícil em relação a Copa do Mundo, principalmente em termos de infraestrutura. O que o pessoal está mostrando e dizendo não é nada mais que a realidade, o que estamos vendo. É uma coisa até difícil de comentar. Cabe ao poder público e as pessoas que estão no comitê organizador realmente fazer com que as coisas possam acontecer.