Cidadeverde.com

Estatuto x Boletim Eleitoral: o que vale na eleição do Flamengo?

A eleição daquela "casa pegando fogo" comprada pelo vereador Tiago Vasconcelos (PSB) ainda rende. 

Lembra daquela página de documentos no site do Flamengo que só eram abertos com senha? Pois não é que na semana após a eleição essa senha deixou de ser exigida! Que coisa!

Lá está o documento do polêmico desligamento do sócio José do Egito Barbosa, aquele que ameaçava entrar com ação para impedir a eleição do clube. O despacho informa que ele até pagou um ano de contribuições atrasadas, mas foi punido com o desligamento e não pagou a "taxa de expediente" para que a pena fosse cancelada. 

Mas se José do Egito não entrou com ação contra o clube, outros quatro torcedores acionaram a Justiça. Caberá à juíza Tânia Regina Sousa Guimarães decidir se o pleito foi legal ou não

Antes de qualquer coisa, é preciso ressaltar que em questão de clube, vale o que define o clube e seus sócios. Torcedor por si só não pode fazer muito além de protestar - a não ser que seja sócio também.  

E naqueles documentos que antes tinham senha, dois arquivos relativos ao processo eleitoral merecem atenção. 

O primeiro é o Boletim Eleitoral, datado de 12 de junho de 2015. Ele conta com todas as informações que quem reclamava da eleição queria saber: prazo de inscrição, onde se inscrever, quais documentos levar...

O outro documento é uma portaria de 2012 que altera o estatuto do Flamengo. E esse é o que pode trazer alguma dúvida. Se o boletim eleitoral determinou o prazo de inscrição de 15 a 17 de junho, o estatuto do clube diz que esse prazo seria de 15 a 30 de junho. E frisa que essa alteração "abrange o mandato da atual gestão eleita em 2011". 

Na lista de documentos não há nenhuma portaria que informe um "caráter extraordinário" para que o prazo de inscrição fosse reduzido de 15 para três dias. Seria isso necessário? 

O que vale mais: estatuto ou boletim eleitoral? Posso estar enganado, mas suspeito que seja o estatuto. 

Por fim, faço uma pergunta que não vejo como ficar fora desse contexto: mesmo tendo sido uma eleição irregular, quem seria candidato além de Tiago Vasconcelos? Quem quer pegar essa bomba?