Cidadeverde.com

Joanna Maranhão não poupa Cunha e Bolsonaro: "A torcida de vocês eu não faço questão nenhuma de ter"

A nadadora Joanna Maranhão é pernambucana e vai para sua quarta edição dos Jogos Pan-Americanos. Acordou cedo, mas incomodada, mesmo com o Sport Recife líder do Campeonato Brasileiro. Não conseguiu treinar sem antes gravar um vídeo criticando as manobras para que a redução da maioridade penal fosse votada novamente e aprovada pela Câmara dos Deputados, na madrugada desta quinta-feira (2). 

Joanna Maranhão disse não conseguir dissociar o fato de representar o Brasil em uma competição esportiva com a política do país. 

Quem teve coragem denunciar que foi vítima de pedofilia certamente não tem medo de ser dura ao comentar diversos outros temas, como a redução da maioridade penal. No vídeo postado em seu perfil no Facebook, a atleta argumentou com veemência que mudar a idade penal de 18 para 16 anos não vai resolver os problemas relacionados a menores infratores. 

Afiada, mandou um recado para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, os deputados federais Marco Feliciano e Jair Bolsonaro e o pastor Silas Malafaia. Aliás, um recado para eles e quem defende suas opiniões. 

- Eu vou para o Pan-Americano, eu vou defender o meu país, mas eu não vou estar representando essas pessoas que batem palma para Feliciano, Bolsonaro, Eduardo Cunha, Malafaia... Não são vocês que eu tô representando. A torcida de vocês eu não faço questão nenhuma de ter. 

Pensei bastante antes de fazer esse vídeo mas considero o desabafo necessário pra minha saúde mental. Estou a caminho do...

Posted by Joanna Maranhão on Quinta, 2 de julho de 2015

 

Eu adoraria obrigar todos os ídolos a terem uma atividade social paralela ao seu esporte. São figuras públicas e têm muito a contribuir e influenciar positivamente na sociedade. Um poder que vai bem além de partilhar suas conquistas pessoais. Mas não posso obrigar ninguém a ser ativista. Isso tem que partir de cada um. 

Patrocinadores e entidades esportivas também podem não ver com bons olhos determinadas opiniões. Algo que pode ter inibido muitos atletas de colorirem suas fotos no último fim de semana, em apoio ao casamento gay - o que Joanna Maranhão não relutou em fazer. 

A declaração é corajosa. Pode irritar muitos fãs. Mas Joanna Maranhão me cativa mais a cada gesto do que com suas braçadas e medalhas. Concorde com suas opiniões ou não, admita: a nadadora é um exemplo de cidadania.