Cidadeverde.com

Eleição do Flamengo: um processo a menos

Tiago Vasconcelos recebeu um primeiro sinal de que poderá presidir o Esporte Clube Flamengo em paz. 

A ação movida por quatro torcedores para suspender as eleições, realizadas em junho, foi julgada extinta. O motivo foi desistência dos próprios rubro-negros que moveram a ação. 

Eles haviam pedido liminar para suspender a eleição, realizada em meio a tumulto e com questionamentos sobre a lisura do processo. Mas o Flamengo só foi notificado para se defender após o pleito. No dia 11 de agosto, o juiz José Ramos Dias Filho confirmou a extinção da ação.

De fato, o processo de inscrições foi um tanto nebuloso, como mostramos na época aqui no blog. Mas Tiago Vasconcelos vem dando demonstrações de que quer reerguer o clube. Valeria a pena interromper essa retomada?

Antes que o torcedor da Raposa pergunte: existem dois processos movidos pelo sócio José do Egito Barbosa, mas estes são direcionados especificamente ao ex-presidente Jankel Costa, uma de maio e outra de julho. Egito foi impedido de votar na véspera da eleição e prometeu reagir na Justiça. As ações continuam a tramitar em primeira instância.