Cidadeverde.com

O rigor da regra: jogador do River foi expulso por reclamação no intervalo

No jogo Palmas 0x2 River, no último domingo (13), pela Série D do Campeonato Brasileiro, a expulsão do meia Esquerdinha, do time piauiense, mostrou que os árbitros estão mesmo com tolerância zero para reclamações. Não importa se a queixa ao apitador é durante o jogo ou no intervalo. 


Esquerdinha (o do centro da foto, não o da esquerda)

Sim, Esquerdinha foi expulso no intervalo. Aos 26 minutos do primeiro tempo ele já havia sido punido com cartão amarelo por "atitude antidesportiva". A punição o deixa com três cartões acumulados e o tira do primeiro jogo do River nas oitavas-de-final da Série D. 

O árbitro Fabrício Nery Trindade, de Goiás, encerrou o primeiro tempo. Esquerdinha achou que poderia chegar lá e bater um papo com ele. Levou o segundo amarelo e foi expulso. 

Segundo a súmula, Esquerdinha foi expulso "por dirigir ao trio de arbitragem que se encontrava-se no circulo central,onde o mesmo recebeu o segundo cartão amarelo por reclamar de forma acintosa com o arbitro da partida, dizendo as seguintes palavras "você ta de sacanagem, tem que saber quem ta pendurado e que se levar cartão fica fora do próximo jogo, você mim tirou do próximo jogo (sic)"."

A circular emitida pela CBF em abril é clara. Determina que "as recorrentes e acintosas reclamações, individuais ou em grupo, contra as decisões do árbitro e de qualquer oficial de arbitragem, tanto durante como após o encerramento das partidas, exigem adoção de medida disciplinar adequada, pois as regras do jogo o permitem e exigem".

E tá mesmo na regra do jogo:

Até a imprensa do Tocantins achou um exagero. E o árbitro goiano pode ter sido mais rigoroso que os colegas. Mas fica a lição: deixem o juiz pra lá. Inclusive no intervalo.