Cidadeverde.com

Novo Flamengo está aprendendo com a lanterna

Quando assumiu a presidência do Esporte Clube Flamengo, a primeira intenção de Tiago Vasconcelos era reativar o futebol profissional somente em 2016. A situação precária do clube pedia uma reorganização antes de novos investimentos.

Não esperava ele que um artigo no regulamento do Campeonato Piauiense, sugerido pela diretoria anterior, impusesse multa de R$ 50 mil por desistência da Copa Piauí. 

Montar uma equipe para o torneio de um mês talvez fosse até mais barato que pagar a multa. E lá foi o Flamengo se organizar. Contratou treinador de fora e foi o time que se preparou com mais antecedência. O discurso do presidente Tiago Vasconcelos é de só montar time para ser campeão, por respeito a grandeza do clube. 

Não deu certo, ainda. Com duas rodadas sem vencer, a diretoria já demitiu o treinador "importado" e colocou um "prata da casa" no lugar. Com Dias Pereira em substituição a Paulo César Schardong, o rubro-negro conseguiu vencer o Parnahyba fora de casa. Mas não repetiu o feito ante o Caiçara. 

O Flamengo ainda pode ganhar a Copa Piauí, mas já depende de outros resultados. Por enquanto é o lanterna, apesar do equilíbrio permitir até que o rubro-negro alcance a vice-liderança na próxima rodada. Da mesma forma que o Parnahyba pode conquistar o título com uma rodada de antecedência. 

Na próxima semana, Tiago Vasconcelos poderá comemorar um título e estrear no Flamengo como pé quente, reafirmando seu discurso de só entrar em competições para ser campeão. Ou poderá resgatar o primeiro discurso, de que o rubro-negro ainda está arrumando a casa. Das duas, uma coisa é certa: com os erros e acertos da Copa Piauí, a nova diretoria já fez um bom laboratório para a próxima temporada.