Cidadeverde.com

O sol que derreteu os miolos de alguém na CBF

Fotos: Wilson Filho/Cidade Verde

Em Teresina, o ovo frita no asfalto, o urubu voa com uma asa só para se abanar com a outra e até o vento é quente. Pode ser piada, folclore, mas só reflete a realidade do calor na cidade, em especial nesta época do ano. 

E mesmo assim, mesmo com essa fama toda, um jogo é marcado para 15h no Albertão. 

E não é a primeira vez. Lembram do Campeonato Piauiense de 2001? River e Oeiras decidindo o título às 15h no Albertão, no meio de semana, por conta do racionamento de energia elétrica que o país enfrentava na época. 

Outras vezes tivemos jogos às 15h, 15h30... Um ou outro atleta passava mal e ficava por isso mesmo. Agora foi um time inteiro. 

Tiradentes e Viana (MA) jogavam no Albertão pelo Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. No segundo tempo, o time maranhense já tinha feito as três substituições e estava com 10 jogadoras em campo e uma no hospital. A partida acabou antes do tempo previsto. Sete atletas desmaiaram.

Assim como em 2001, havia motivo para o jogo das 15h. Naquela época era a possibilidade de prorrogação e o racionamento energético. Agora era o regulamento: as partidas da última rodada devem ocorrer no mesmo horário, para evitar que resultados sejam combinados. Ok, isso é justo. 

Havia razão para o jogo ser 15h no Albertão? Não. Dentro do possível, está tudo ok com o estádio. Refletores funcionando normalmente.

Fui saber então do outro jogo do Grupo 4, também marcado para 15h. Telefonei para a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) e perguntei se o estádio Carneirão, palco de Vitória (PE) e Caucaia (CE), tinha algum impedimento para jogos noturnos. A respota foi que até partidas da Série A2 do Campeonato Pernambucano estão sendo disputadas por lá durante a noite.

Se não tinha motivo para impedir o jogo à tarde em Vitória de Santo Antão (PE), dava para a Federação de Futebol do Piauí (FFP) pedir mudança no horário, para as duas partidas ocorrerem à noite. E ela o fez, segundo nota divulgada após o episódio no Albertão. Mas alega que a CBF negou o pedido.

Outra prova de que a FFP se preocupou desde cedo com a questão foi a mudança de horário de outro jogo. Sim, no dia 16 de setembro, Tiradentes e Vitória (PE) iriam jogar às 15h no Albertão, mas a partida foi transferida para 18h. O motivo? O calor!

A FFP sabia da questão e pediu a mudança. E o pior: a CBF também sabia do forte calor no horário em Teresina. A prova é um documento no site da própria Confederação. 


Duvidou? Acesse o documento no site da CBF

Ué, e quem pediu esses jogos para as 15h? Sobrou para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). 

Os jogos dos Grupos 2 e 4 foram às 15h. As partidas dos Grupos 1 e 3 foram marcadas para 19h. 

Isso mesmo: em Manaus (AM), Cuiabá (MT), São José dos Campos e Araraquara (SP), jogos à noite. Em Teresina (PI), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória de Santo Antão (PE), partidas mais cedo. Qual a razão da diferença? 

O Tiradentes venceu por 10 a 0, está invicto, classificado para a segunda fase do Campeonato Brasileiro e terá o direito de se reforçar com até três jogadoras da seleção brasileira, como prevê o regulamento do torneio. É uma pena que tudo isso seja ofuscado por algo que o time não tem qualquer responsabilidade. 

Dentro de campo, os miolos das jogadoras do Viana (MA) quase derretem. Resta saber quem fora do campo já estava sem nada na cabeça ao permitir que isso acontecesse.