Cidadeverde.com

A pressão está com o Ypiranga, mas o River não pode descuidar

Foto: Pedro Henrique/River A.C.

Descontração no treino de sexta-feira no local da partida. No sábado a história é séria

Faltam três jogos para o título. E cada jogo parece mais difícil que o anterior. 

Na semana passada eu já havia dito que o jogo com o Ypiranga não seria tão fácil como a goleada por 3 a 0 em cima do Lajeadense (RS), pelas quartas-de-final. O Galo ganhou o jogo de ida da semifinal por 2 a 0, mas viu que a parada é bem mais indigesta. 

Além do Ypiranga não ser o Lajeadense, a vantagem do River não é igual a que tinha sobre o adversário anterior. E, ao contrário dos conterrâneos, o time de Erechim não precisa se desesperar pelo acesso. Já estão na Série C do ano que vem, já estão no lucro. Ficar nervoso como o Lajeadense, pra quê?

Claro, o River tem a vantagem. E se fizer um gol, força os adversários a marcar outros quatro. Mas como o próprio elenco do time piauiense pregou durante a semana, 2 a 0 é um resultado perigoso. Dá ao grupo uma sensação de vantagem que em poucos minutos pode ser superada. 

Contra o Lajeadense, o técnico Flávio Araújo adotou o discurso de que era preciso agredir o adversário fora de casa na mesma proporção que o time gaúcho. Não foi o que se viu no primeiro tempo daquela partida. O River sempre se portou bem nos jogos fora de casa, mas terá de jogar melhor que nas quartas-de-final dessa vez. 

Flávio Araújo quer variação na zona de marcação para reduzir as investidas dos donos da casa. Vamos ver o quanto vamos suportar. Ele também treinou o time com três zagueiros, uma opção que pode ser usada ao longo da partida. Ainda acho que é preferível mesmo seguir o esquema atual - mudanças só dependendo das circunstâncias do jogo. 

Do que vi das semifinais, o River é favorito ao título - até mesmo se a final for contra o Remo (PA) em Belém do Pará. Mas precisa repetir nos 90 minutos deste sábado (31), em Erechim (RS), as suas principais virtudes dessa temporada: concentração, domínio de bola e aplicação tática. Não vai ser fácil, mas o cenário é favorável, por mais que em Teresina você abra a janela hoje e encontre o céu atipicamente nublado. Repetindo o bordão dos jogadores, "vai dar certo".