Cidadeverde.com

Veja 6 fatos que o River precisou superar em 2015

1) Empates em casa

O 1 a 1 na estreia com o Palmas e o empate sem gols na terceira rodada contra o Guarani (CE) deixaram torcedores e setores da imprensa apreensivos e pessimistas. Nem a vitória sobre o Santos (AP) fora de casa amenizou as críticas ao time, que ensaiava repetir a campanha da Série D do ano anterior. Perder pontos em casa era inadimissível, mas o Galo os recuperava quando jogava fora de Teresina. Com o tempo, o time engrenou e acumulou vitórias no Albertão. 

 

2) Elizeu Aguiar condenado pelo STJD
Pego em uma gravação na qual admitiu a intenção de oferecer "mala branca" em um jogo da Série D de 2014, Elizeu Aguiar foi multado e afastado das atividades como presidente do River por seis meses. A pena não o impediu de trabalhar pelo clube, por mais que tenha deixado de representar o Galo oficialmente. A punição termina em dezembro. 

 

3) O drama de Naylson

Ele chegou para ser reserva de Dalton e assumiu a posição de titular após uma lesão do goleiro. Jogo a jogo, Naylson foi confirmando sua condição de "paredão". No Campeonato Piauiense, ele teve de superar a morte do pai e o fim prematuro da gestação da esposa. Conquistou o Estadual e atravessou o campo de joelhos. Iluminado, cobrou um pênalti e defendeu outro na semifinal da Série D, contra o Ypiranga (RS), garantindo o River na decisão. 

 

4) Júnior Xuxa perde a avó
Em setembro, o meia perdeu a avó Maria Lima na véspera do jogo com o Santos (AP), em Teresina (PI). O time piauiense venceu com um gol no início da partida. Júnior Xuxa, que preferiu ficar concentrado com o time, entrou em campo no segundo tempo. 


 
5) Salários atrasados e greve

Os três meses de salários atrasados fizeram com que o time suspendensse os treinos em duas ocasiões. A diretoria negociou com os jogadores, mas só conseguiu quitar os débitos graças ao aumento da presença de público nos jogos da reta final da competição. 

 

6) Evasão de renda
Não bastasse a falta de dinheiro, o River viu os "ratos" levarem parte da renda dos jogos. A ação de pessoas que tomaram conta da bilheteria e desviaram recursos que serviriam para pagar as dívidas do time fez o clube firmar parceria com uma rede de farmácias para a vendados ingressos da final. Todos foram esgotados antecipadamente.