Cidadeverde.com

Flamengo-PI 0x2 Piauí - um amistoso que valeu mais que três pontos

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Chego ao estádio e encontro o presidente Jacob Júnior se desequilibrando em uma escada do Albertão. Foi salvo pelo corrimão. 

- Presidente, não caia. O senhor não pode cair. O Piauí não pode cair!

O comentário fora das quatro linhas é de que o Enxuga-rato vai disputar o Campeonato Piauiense com a pretensão de não ser rebaixado. O placar do amistoso deste sábado (23) com o Flamengo contradiz isso - mas só o placar. Vitória por 2 a 0.

Foto: Eduardo Frota/Cidade Verde

Lógico que amistoso não vale três pontos. Teve até camaradagem do Flamengo após dois jogadores do Piauí serem expulsos por reclamação no segundo tempo. Os rubro-negros concordaram que eles fossem apenas substituídos, já que o árbitro adiantou que não admitia falta de respeito e não permitiu o retorno deles.

Com 11 de cada lado, Vitor cobrou falta e abriu o placar aos 22 minutos. Ribeiro ampliou aos 46, depois do goleiro rubro-negro defender uma cobrança de escanteio. 

A prioridade pode até ser a preparação das equipes, mas quem estava ao lado do campo pensou por algums momentos que a partida era pra valer, especialmente depois do gol. Jogador do Piauí caído e os flamenguistas reclamam que o maqueiro não chega. 

No banco, o auxiliar técnico Dênis Alves chama a atenção do quatro árbitro:

- Lembra ele (juiz) que parou sete minutos lá, das substituições. 

Do lado do Piauí, o técnico Neto Jordão, ex-Flamengo, grita:

- Cabô o jogo. 44. Cabô o jogo. 

A galera na arquibancada, em número menor que a turma no gramado, não levou tão a sério. Depois do Flamengo bater mal duas cobranças de falta, tinha gente pedindo para o goleiro tentar a próxima.

Quem tentou foi o meia Igor. E para ninguém dizer que não falei nada de bom do Flamengo, Leandro cabeceou e o goleiro Lucas se esforçou para espalmar por cima do gol.

Com o gol nos acréscimos, ninguém mais se importou se o tempo perdido com as substituições seria reposto. 

O Piauí, cujos jogadores trocavam as camisas com os titulares ao entrarem em campo nas substituições, comemorou o resultado com discrição. 

Do lado do Flamengo, coube ao atacante Augusto segurar a imprensa. O técnico Athirson Mazzoli desceu para o vestiário sem dar entrevistas. O resto do time, também. Pelas expressões dos rubro-negros, o clima após a partida não era bom. 

Não era jogo de campeonato. Não valia três pontos. Mas valia. O resultado pega mal para o Flamengo, que investiu em um elenco para se reerguer e caiu no primeiro desafio do ano para o "patinho feito" do campeonato.

O Piauí ganhou o jogo e ânimo, apesar de não poder se confiar muito no desempenho de hoje. Falta maturidade ao rubroanil.

O Flamengo teve uma noite para lembrar que "treino é treino e jogo é jogo", mas "errou quando podia errar", vão dizer os boleiros. Falta entrosamento ao rubro-negro, que ofereceu pouco perigo mesmo com três atacantes em campo. Mesmo repetindo o time que venceu a equipe sub-20 do Maracanaú (CE) por 3 a 0 na semana passada.  

Na sexta-feira (29), o torcedor vai saber se as lições de hoje foram aprendidas. Em Floriano, Cori-Sabbá x Flamengo. Em Teresina, Piauí x Picos. Vai valer três pontos.