Cidadeverde.com

River 1x1 Parnahyba - o Tubarão mostra sua força

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

O time a ser batido sentiu a primeira pressão de 2016. 

Em casa, o River recebeu o Parnahyba, que jogou os 90 minutos sem pensar em empate. No saldo da partida, o Tubarão foi mais agressivo e teve mais domínio de bola e chances de gol. Com algumas mudanças, o Galo conseguiu segurar o ímpeto dos visitantes e garantir o empate. 

A partida de domingo no estádio Albertão foi a mostra do que o técnico Luís Miguel, já elogiado por sua passagem em um 4 de Julho sem grandes peças e recursos, pode fazer com um bom plantel, em um clube de mais expressivo. Dos seis times que vi estrear, o Parnahyba talvez seja o mais entrosado e de melhor preparo físico para o início de temporada. 

Por outro lado, mostrou que o técnico Zé Teodoro talvez precise rever os ajustes no time do River. Suas substituições da partida foram para tirar os únicos três novatos na equipe em relação ao grupo vice-campeão brasileiro da Série D no ano passado. 

O Tubarão era melhor no primeiro tempo. Reclamou de pênalti não marcado aos 33 minutos. Mas no primeiro vacilo da defesa, tomou o gol de Rogério, que aproveitou a cobrança de falta aos 24. Depois disso, apesar do técnico Luís Miguel não ter admitido em entrevista após a partida, a zaga do Parnahyba pareceu desorientada, cedeu espaços e sofreu nos contra-ataques.

O Parnahyba voltou do intervalo com o mesmo ímpeto. Cassiano, um dos melhores em campo, sofreu pênalti aos 14 minutos. Fabiano converteu e empatou o jogo. 

Zé Teodoro já tinha sacado Marquinhos no intervalo e recolocado Jadson na lateral esquerda, desfazendo uma das mudanças em relação ao River de 2015. Depois do gol, o técnico tirou o novato André Beleza e colocou Thiago Dias, outro remanescente do grupo do ano passado. Só após essa mudança o Galo conseguiu equilibrar a posse de bola e diminuiu as investidas parnaibanas. 

Além de André Beleza, o atacante João Paulo, aquele que pretende marcar um gol a cada dois jogos, também não fez boa estreia. Ele foi substituído por Diego Lira, que teve pouco mais de 15 minutos para mostrar serviço. Inconformada por pegar pressão em casa, a torcida tricolor vaiou os dois titulares ao saírem de campo. 

Do lado praiano, Balotele, que entrou aos 39 minutos, desperdiçou outro gol para o Parnahyba, que teve mais oportunidades para vencer a partida. Razão da festa da torcida azulina, com direito a provocação aos tricolores em ritmo de Carnaval, com uma paródia da música "Metralhadora". 

Foi o primeiro clássico do ano. Os tricolores podem dizer que o River jogou mal, mas é preciso dizer que o Parnahyba jogou bem, muito bem. É o início da temporada e cada time ainda tem tempo para fazer seus ajustes. Cada jogador terá chances para se redimir. Mas uma coisa já se pode tirar dessa rodada: o Galo não deixou de ser favorito ao título. Porém, se o Tubarão continuar assim, os adversários que se cuidem.