Cidadeverde.com

"Lei do ex" ainda pode punir o River mais vezes em 2016

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Já existe até calendário para o reencontro do River com seus ex-jogadores. 

Há uma dúvida: o Robinho ainda pertence ao River, mas foi emprestado para o Piauí. Ele entra na conta da "Lei do ex"? Como ele deixou transparecer sua decepção por ser cedido pelo Galo, acho que tá valendo. Mas é preciso ver se há algum acordo para impedir o atacante de enfrentar o tricolor. 

Não existe nada que comprove a eficácia da Lei do Ex, a não ser as estatísticas. O River já foi vítima nas duas oportunidades que teve em 2016. 

Fabiano não fez gol, mas o Parnahyba venceu seu ex-clube, o Piauí. 

Mas o Flamengo perdeu um amistoso para o Piauí do seu ex-técnico, Neto Jordão, e no jogo seguinte, já valendo pelo Campeonato Piauiense, deu vitória rubro-negra. 

As coincidências ficam para a torcida. Ao River, resta atacar as falhas dos últimos jogos e se encontrar na temporada. Do contrário, o calendário de ex-jogadores e treinadores para encarar o espera. 

Primeiro foi Thiago Marabá cobrando falta e Raphael Freitas fazendo o gol da vitória de Picos contra o River. 

No sábado, foi a vez de Eduardo marcar na vitória de 3 a 0 do Fortaleza (CE), treinado por Flávio Araújo. 

Na quarta-feira tem o Botafogo (PB), do atacante Warley, que durou pouco no Galo em 2015. Aliás, Warley vinha do clube paraibano e marcou gol pelo River contra seu ex-time, na abertura da Copa do Nordeste do ano passado. 

No Rivengo de domingo, pelo Campeonato Piauiense, o Flamengo talvez já conte com Anderson Kamar, que foi artilheiro no River. 

Mais a frente, além de Robinho no Piauí, o River irá reencontrar o Altos, do técnico Nivaldo Lancuna e do artilheiro Pantico. Ambos deixaram sua marca em períodos distintos do tricolor. 

Com essa lista, já há quem diga que o Parnahyba só não ganhou do River na estreia porque faltou um ex do Galo no time.