Cidadeverde.com

Mais uma vez um Rivengo

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

O Flamengo vai tentar uma recuperação heróica após um dos maiores fiascos dos últimos anos. O River quer se encontrar de vez em campo, para fazer a torcida relembrar os bons momentos de 2015. Ninguém espera o empate. E por isso, apesar dos pesares, o clássico deste domingo promete. 

O primeiro Rivengo de Zé Teodoro e Athirson Mazzoli, treinadores dos times que geraram maior expectativa para a temporada 2016, mas ainda estão em dívida com suas torcidas. O clássico é uma boa hora para se acertar com as arquibancadas.

Os rivais possuem um jogo a menos que os outros times. O Flamengo tem 10 pontos, um a menos que o líder Picos. O River vem em seguida com 7 pontos. Se vencer, iguala a pontuação do rubro-negro, mas para assumir a vice-liderança o tricolor precisa de uma goleada de pelo menos três gols de diferença. 

Quem é rubro-negro não quer nem ouvir falar em goleada. A derrota por 5 a 0 para o Ceará, na última quinta-feira, pela Copa do Nordeste, ainda da dor de cabeça. 

Técnico do River, Zé Teodoro viu a goleada sofrida pelo Flamengo e considerou o time perigoso em termos ofensivos. 

- Nós vamos encontrar um adversário que está ferido. E nós precisamos também melhorar nossa condição na tabela, procurar brigar pelas primeiras colocações. Quem vai ganhar com isso é o torcedor. 

Foto: Érica Paz/River AC

O Flamengo de Athirson é um time que se demonstrou perigoso no ataque e frágil na defesa. O River de Zé Teodoro parece ter começado a destravar na vitória de quarta-feira por 2 a 0 sobre o Botafogo (PB), pelo Nordestão, mas ainda está aquém do que a torcida espera. 

Tudo bem que clássico é sempre imprevisível, mas alguns fatores fora do campo podem pesar. O River jogou no meio de semana em casa, teve mais dias para treinar. O Flamengo disputou sua partida no Ceará e só retornou a Teresina na noite de sexta-feira. 

Thiago Amaral/Cidade Verde

Athirson perdeu o lateral Diego Fiúza e o meia Rocha, que pediram para deixar o Flamengo. Mas ganhou o atacante Anderson Kamar, ex-River, que pode estrear cumprindo a "lei do ex", que tanto atormenta o Galo. Isso sem contar Augusto, que adora fazer gols no Rivengo. 

Zé Teodoro não terá Fabinho, Thiago Dias, Kássio e Rogério. Eles sequer foram relacionados. Mas Zé Teodoro frisa que o River tem um grupo e não um time. 

Eu se fosse Athirson só tentava mexer na defesa. E se fosse Zé Teodoro, daria mais uma chance ao meia Sandro Costa, que entrou no segundo tempo contra o Botafogo.

É o primeiro Rivengo de 2016. E o primeiro desde a reformulação rubro-negra e após o acesso tricolor para a Série C. Não dá para perder. 

River x Flamengo
Campeonato Piauiense - 1º Turno - 5ª rodada
Albertão - Teresina - 21/02 - 17h
Ingressos: R$ 20 (placar), R$ 30 (cabine) e R$ 50 (cadeiras)