Cidadeverde.com

Judô piauiense segura a lanterna

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Enquanto todo mundo comemorou a medalha de bronze da Sarah Menezes no Grand Prix de Samsun, na Turquia, no memso fim de semana o judô piauiense vivia um resultado inversamente positivo em São Luís (MA), no Campeonato Brasileiro - Região I. 

O Piauí foi o último colocado geral do torneio, atrás de Ceará, Maranhão, Pará e Amapá. 

No quadro geral de medalhas, o estado foi ao pódio 35 vezes. Parece muito, e até é. Mas o Ceará faturou 82 medalhas. O Maranhão levou 64.

Em 2015, o torneio foi disputado em Teresina e o Piauí ficou com o vice-campeonato. Com 104 atletas, 29 a mais que neste ano, conquistou 52 medalhas, sendo 20 de ouro. 

No fim de semana, na capital maranhense, foram 9 ouros, 10 pratas e 16 de bronze. Das 35 medalhas, 21 ficaram com os homens - e nesse quesito ficamos em terceiro, atrás de Maranhão e Pará. 

Nossos campeões em São Luís foram Analice Sousa (36kg; Sub-15), Stanley Torres (73kg; Sênior), Manoel Filho (42kg, Sub-13), João Sobrinho (81kg; Sub-21), Paulo Andrade (47kg; Sub-13), Stael Torres (90kg; Sênior), Pedro Fernandes (52kg; Sub-13), Hayssa Santos (78kg; Sênior) e Francinaldo Segundo (+100kg; Sênior). 

O resultado completo com todos os medalhistas você confere aqui.

O problema não é recente. Na verdade, o judô piauiense já começou a reagir com algumas iniciativas. Mas se o Piauí quiser ver surgir aqui outra Sarah Menezes, precisa investir mais no esporte, em material humano, apoio para nossos professores e atletas. Já fomos bem melhores. Em 2017, pode ser que os resultados evoluam. Mas para que a evolução seja constante, o apoio deve seguir no mesmo ritmo.