Cidadeverde.com

Capitão vai embora do River

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Quando o River apostou em Jefferson Silva, o Capitão, para substituir Zé Teodoro, estava claro que era realmente uma aposta. 

A maior experiência do novo treinador era como auxiliar, inclusive no próprio Galo. Como técnico, comandou times de menor expressão. O tricolor piauiense era a maior oportunidade para que ele mostrasse seu trabalho até então. 

Foto: River A.C.

Trazer alguém com currículo mais recheado significaria custos que a diretoria tricolor temia não conseguir arcar. 

Elizeu Aguiar disse que Capitão devolveu a alegria ao time. Mas alegria por si só não ganha jogo. 

Capitão teve problemas para escalar o time. Pegou um River com um calendário atolado de partidas, que deixou o departamento médico tricolor lotado. Isso atrapalha qualquer treinador. 

Mas Capitão também cometeu seus equívocos, visíveis nas derrotas para América (RN) e Remo (PA) pela Série C do Brasileirão. A demora para fazer substituições mesmo sendo nítido que algo estava errado na equipe era o que me incomodava mais que a falta de variações táticas ao longo do jogo.

Para quem quer ser treinador, voltar ao posto de auxiliar não deve ser nada confortável. Hoje (23), Capitão se despediu do River. Que encontre novos desafios e alavanque sua carreira. 

É preciso lembrar que Capitão ajudou o River, sim. Devolveu a alegria e segurou o time em meio a esses problemas. E creio que o River ajudou Capitão, abrindo as portas para uma nova experiência, que certamente deve ter sido um grande aprendizado. Que novas portas se abram para ele.