Cidadeverde.com

Altos garantido no mata-mata. Agora a história é outra

Em 2015, quando o River dava a arrancada do acesso, havia um favorito na Série D do Brasileirão: o São Caetano. 

O clube paulista chegava para as oitavas-de-final como líder do Grupo A8, com 6 vitórias, um empate e uma derrota, incríveis 17 gols de saldo (22 marcados e apenas 5 sofridos). Passou fácil pelo Coruripe (AL) e avançou para as quartas, para encarar o Botafogo (SP).   

O Botafogo (SP) só passou para as oitavas por conta do saldo de gols. Venceu três jogos, empatou quatro, fez 11 gols e tomou seis. Pelo regulamento, reencontrou o CRAC (GO), time do mesmo Grupo A6, de quem já tinha perdido em casa e empatado fora. 

O Pantera fez 3 a 0 no primeiro jogo das oitavas e papou a vaga para as quartas.

No jogo do da classificação para a Série C, o Botafogo fez 2 a 1 no São Caetano e empatou sem gols a partida de volta. O Azulão foi eliminado e toda aquela campanha maravilhosa não adiantou de nada. 

Altos está fazendo uma campanha exemplar na Série D 2016. Venceu quatro jogos, empatou um. Marcou 18 gols e tomou 4, três deles no empate de hoje com o Juazeirense. Já está classificado para a próxima fase como líder e com uma rodada de antecedência. 

O problema é o mata-mata. É outro torneio, uma Série D diferente, sem chance para erros. 

Em campo, o Jacaré já mostrou que tem plenas condições de subir. Mas o acesso não tá no papo.

Goleadas contra o Icasa (CE) não podem empolgar ninguém. Antigamente, talvez. Mas hoje em dia, não. 

A Manga Mecânica está no caminho certo. Deve agora estudar os próximos adversários, que estão vindo de classificações mais difíceis nos outros grupos. 

Afinal, a Laranja também era mecânica. Mas nunca foi campeã.