Cidadeverde.com

Luis Carlos Cardoso chega em quarto e fica sem medalha na Rio 2016

  • 29702501225_3b75e34073_o.jpg Fotos: Francisco Medeiros/ME
  • 29700644195_10344eb21f_o.jpg Foto: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB
  • 29619481951_c7f66c530f_o.jpg Foto: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB
  • 29591104602_f6cf152051_o.jpg Fotos: Francisco Medeiros/ME
  • 29591094262_660f95ea4e_o.jpg Fotos: Francisco Medeiros/ME
  • 29591093502_56d015cb9e_o.jpg Fotos: Francisco Medeiros/ME
  • 29077847213_048d0b7d94_o.jpg Fotos: Francisco Medeiros/ME
  • 29076132504_1e4a25d2d3_o.jpg Fotos: Francisco Medeiros/ME

O piauiense Luis Carlos Cardoso ficou para trás na final da canoagem dos Jogos Paralímpicos e acabou fora do pódio. O canoísta foi o quarto colocado na prova, disputada na manhã desta quinta-feira (15), no Rio de Janeiro (RJ). 

Cardoso é o atual campeão mundial na canoa e bronze no caiaque, prova disputada por ele hoje. Ele fechou os 200 metros em 51seg631. 

O ouro foi para o polonês Jakub Tokarz, vice-campeão mundial (51seg084). A prata ficou com Robert Suba, da Hungria (51seg129). O bronze é de Ian Marsden, da Grã-Bretanha (51seg220). 

Ontem, o brasileiro aumentou a expectativa de medalha ao vencer a primeira classificatória e garantir vaga na final sem precisar disputar as semifinais. Hoje, saiu desapontado da Lagoa Rodrigo de Freitas.

Trajetória
Natural de Picos, Luis Carlos Cardoso era dançarino de bandas de forró. Até 2009, ele se apresentava em shows do cantor Frank Aguiar. Foi em dezembro do mesmo ano que o piauiense ficou paraplégico por conta de esquistossomose. A nova condição o fez descobrir a canoagem, esporte que o ajudou a se reerguer na vida.

Começou a conquistar medalhas internacionais na canoa ainda em 2012, chegando ao título dois anos depois. O ápice veio em 2015, com ouro na canoa e no caiaque no Mundial de Milão, na Itália, o que o ajudou a conquistar o título de melhor atleta do ano pelo Comitê Paralímpico do Brasil.