Cidadeverde.com

Candidato a presidente quer anular rebaixamento do Caiçara no Campeonato Piauiense

Foto: Gil Galvão

Deri Sousa já esteve no Comercial e agora quer presidir o Caiçara

Já faz certo tempo que virou ponto pacificado no futebol brasileiro: clube que é rebaixado, é rebaixado. Mas um dos candidatos a presidência do Caiçara Esporte Clube afirma que houve injustiça e promete, se eleito, brigar para que a situação seja revista. 

O radialista Francisco Derivaldo Gomes de Sousa, o Deri Sousa, encabeça a "Chapa da Moralidade e da Verdade", que já registrou seus nomes para as eleições do clube, ainda a serem marcadas e comandadas por um interventor, como noticiado ontem aqui no blog Na Esportiva. Ele faz oposição ao presidente Francisco Ispo, que foi afastado após a justiça decretar intervenção no clube. 

Deri Sousa lembra que o Caiçara estava sob intervenção na reta final do Campeonato Piauiense, quando o clube acabou não disputando os últimos jogos, o que confirmou um rebaixamento já aguardado, mas ainda matematicamente possível de ser revertido. 

- A gente não caiu em campo. Na verdade, o doutor José do Egito (interventor nomeado na época) foi o responsável por comandar o clube nos últimos jogos. A entidade não tem nada a ver com isso aí. A gente não vai aceitar ser penalizado porque a gente não caiu em campo. 

Além de não haver precedentes para se anular rebaixamentos por situações como essa, o conselho arbitral já definiu regulamento e clubes do Campeonato Piauiense de 2017. Deri Sousa pretende comprar uma briga que muitos certamente darão como perdida. 

Candidatura
Deri Sousa resolveu assumir o desafio de disputar a presidência e encarar o futebol profissional do Caiçara. Nos últimos anos, ele esteve no Comercial, rival do alvirrubro, mas explica a situação. 

- Aqueles dois anos que eu estive a frente do Comercial foi só por conta de uma briga que a gente sempre teve aqui. A chapa de oposição nunca aceitou os desmandos do (Francisco) Ispo. (...) Com aquele cara não dá mais. 

Segundo o dirigente, sua passagem pelo Comercial, com participação em competições do profissional e de base, mostraram que é possível fazer o que a diretoria do Caiçara não estava fazendo. 

O candidato ainda denuncia que o Caiçara soma dívidas trabalhistas de R$ 200 mil na Justiça. 

Deri Sousa aguarda que a eleição seja marcada e defende seu nome como opção de renovação, para "dar uma chacoalhada" no Leão. Na sua chapa, o responsável pela ação que determinou a intervenção do clube, Dilson Lins da Trindade, aparece no cargo de diretor social. Veja o registro de todos os integrantes.

Nos autos do processo que culminou na intervenção do clube, ainda não foram publicados dados da chapa de Francisco Ispo, mas o mesmo confirmou que será candidato e aguarda ser intimado para reunir seu grupo e montar a chapa.