Cidadeverde.com

Com duplo teto salarial, Flamengo conta com torcida para pagar despesas

Foto: Roberta Aline

Tiago Vasconcelos espera ter sobra de caixa para investir no clube

A crise econômica que atinge o país soa como um detalhe perto da situação financeira que o Esporte Clube Flamengo tenta administrar. Para evitar os erros de 2016 e acertar na temporada 2017, a diretoria impôs um duplo teto salarial para equilibrar as contas e até ter uma sobra para fazer investimentos. 
 
O presidente do clube, Tiago Vasconcelos, explica que a diretoria impôs um teto para o salário dos jogadores e outro para o total a ser gasto com a folha salarial do time, o que tem feito o departamento de futebol e o técnico Celso Monteiro se desdobrarem para montar a equipe. 

- Nós estamos com os pés no chão. Estabelecemos um teto de salário dos atletas. Estabelecemos um teto de pagamento para o grupo fechado, nós não podemos passar disso. E nós estamos trabalhando para que as receitas ultrapassem o valor daquilo que nós estamos dispostos a gastar, para que esse saldo de caixa possa providenciar futuros outros investimentos no time do Flamengo, seja no profissional, na base ou na estrutura física. 

A medida visa também evitar os transtornos de 2016. As dificuldades financeiras geraram atraso nos salários e a saída de vários atletas no meio da temporada, o que prejudicou o time em campo e deixou o Flamengo em risco de rebaixamento para a Série B estadual. 

Tiago Vasconcelos lembra que o clube já possui outros problemas para resolver. Não dá para descuidar das contas.

- Na verdade, antes mesmo da crise financeira brasileira, já havia uma crise financeira nos clubes do estado do Piauí. E quando nós pegamos o Flamengo, o Flamengo não tinha absolutamente nada. Eu peguei o Flamengo sem um patrimônio, sem um bem e sem até o CNPJ. É uma situação crítica, uma situação complicada. 

Uma das alternativas encontradas pelo rubro-negro foi a criação do programa para sócios-torcedores. O clube aderiu ao programa Torcedor de Vantagens, já usado no futebol piauiense por River e Parnahyba. Os planos variam de R$ 25 a R$ 100 mensais e darão acesso aos torcedores nos jogos do Flamengo. 

- É uma maneira que o torcecor pode contribuir e que a gente tem uma receita fixa permanente.