Cidadeverde.com

Para enfrentar crise, secretário busca parcerias para o esporte em Teresina

Foto: Thiago Amaral/Cidade Verde

Berger retorna para o comando da Semel em janeiro

Ampliada às 18h23

Confirmado como futuro secretário de esporte e lazer de Teresina, o ex-vereador Renato Berger volta para a pasta em janeiro em situação diferente de quando foi convidado por então prefeito Sílvio Mendes (PSDB) entre 2007 e 2010. A expectativa é que a crise econômica atinja em cheio o esporte e a saída encontrada é a busca por emendas parlamentares e parcerias com a iniciativa privada.

"Esse vai ser um ano difícil em termos de recursos, com redução inclusive de orçamento, para que a gente possa fazer o trabalho que a gente quer fazer. Por isso mesmo a gente precisa buscar alguma coisa fora o orçamento do município", disse o futuro secretário, que nesta terça-feira (27) prestigiou a apresentação dos novos jogadores do River Atlético Clube. 

Berger nem assumiu o cargo e já manteve contato com deputados e vereadores. As conversas já renderam cerca de R$ 2,5 milhões para o esporte e lazer em Teresina. Só do deputado estadual Fábio Xavier (PR) será destinada uma emenda de R$ 1 milhão. Outro R$ 1,5 milhão é resultado da soma de emendas de mais de dez vereadores da capital.

Outra medida já discutida pelo futuro secretário é a realização de parcerias com a iniciativa privada, assunto já discutido por Renato Berger com o futuro secretário de consessões e parcerias de Teresina, Erick Elysio. O estádio Lindolfo Monteiro pode ser um dos primeiros projetos da Prefeitura nesse sentido.

Entre as principais preocupações do futuro secretário está a garantia de que os espaços públicos estejam prontos para receber as atividades esportivas e de lazer, em especial os parques; o recém reformado Complexo Esportivo do Parentão, no bairro Lourival Parente e o estádio municipal Lindolfo Monteiro. 

"Acho que a ação junto a criançada e juventude e o próprio idoso são as prioridades do nosso trabalho. É trabalhar com pessoas, fazer com que elas tenham o divertimento e o lazer. Para isso a gente precisa ter os espaços adequados", acrescentou.

O futuro secretário não descartou o apoio a entidades esportivas. Renato Berger acredita que as federações podem ser parceiras importantes nas atividades promovidas pela Semel.

"Se tá em crise, você dá uma ajuda menor. Você não pode é deixar de ajudar. E eu quero procurar fazer um trabalho junto as federações. Acho que a federação, se ela for bem utilizada, ela pode colaborar muito com o trabalho da Secretaria de Esportes", afirmou Berger.

Já os clubes de futebol que sinalizam bater a porta do prefeito Firmino Filho em busca de apoio, podem se tornar parceiros na promoção de atividades para os jovens, que viria a ser realizadas por meio das categorias de base dos times. 

"Uma das maneiras de ajudar é você trabalhando na base. Eu posso fazer um convênio com River, Flamengo e Piauí, os times da capital, para fazer um trabalho de base. E logicamente esse trabalho vai refletir no profissional", completou.