Cidadeverde.com

Atletismo do Piauí sonha com Pan e Mundial em 2017

  • atletismo-final.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-18.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-16.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-14.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-13.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-12.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-10.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-09.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-08.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-07.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-06.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-05.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-04.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-03.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-02.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde
  • atletismo-01.jpg Foto: Roberta Aline / Cidade Verde

Três jovens atletas do Piauí e um sonho em comum: competir fora do país em 2017. A promessa de ano novo de Letícia Lima e Franciele Cerqueira é treinar para conseguir vaga no Mundial Sub-18 de Atletismo, que será disputado em Nairobi, no Quênia. Genivânia Silva já se esforça para competir no Pan-Americano Sub-20, em Trujillo, no Peru. Os dois torneios acontecerão em julho. 

O sonho parece grande quando se fala em esporte piauiense, mas o técnico Nilson Sousa sabe que as possibilidades são reais. Letícia Lima, por exemplo, já correu os 400 metros no ano passado em 56 segundos cravados. Para ir ao Mundial, ela precisa reduzir esse tempo para 55seg38. 

- Ela tem 62 centésimos para melhorar. E isso a gente acredita que vai ser fácil. Obviamente que a gente não vai querer só o índice. Tem que correr melhor para ir para o Mundial, ser finalista e buscar medalha. O objetivo é sempre esse. 

Letícia Lima encabeça a lista de chances entre as atletas piauienses. Dona de três ouros no Norte-Nordeste Sub-16 e outros dois no Norte-Nordeste Sub-18, a corredora vai disputar provas em São Paulo, a partir de março, para tentar o índice. 

Franciele ganhou três medalhas no Norte-Nordeste Sub-18 do ano passado. Assim como Letícia, ela terá até 25 de junho para obter índice para o Mundial, que acontecerá no Quênia entre 12 e 16 de julho. Alcançar a marca de 11seg95 nos 100 metros rasos a dará o direito de embarcar para Nairobi. 

Quem também já iniciou os treinos em busca de índice é Genivânia Silva, que tentará marca para participar do Pan Sub-20, de 21 a 23 de julho, no Peru. A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) exige tempo de 53seg47, até 9 de julho, para quem quiser integrar a seleção no evento nos 400 metros rasos. Genivânia foi campeã no Troféu Norte-Nordeste Adulto nessa prova.