Cidadeverde.com

Cigano, Flamengo já treinou em 9 lugares diferentes e quer ter campo em 2018

Foto: Érica Paz/Fla-PI

Time do Flamengo em treino na associação dos servidores da PF-PI, um dos nove lugares de atividades em 2017

O Flamengo fez apenas um jogo oficial em 2017. Mas já treinou em oito lugares diferentes neste ano. E tem vivido uma sina cigana nas últimas semanas, sempre alternando os locais de atividades - sejam no campo, piscina, academia ou areia. 

A andança rubro-negra já percorreu o estádio Lindolfo Monteiro, campo do Promorar, Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), clube das Classes Produtoras, clube da Houston Bike, estádio Albertão, Eldorado Country Club, Atlantic City Náutico e, por último, o campo da associação dos servidores da Polícia Federal.

A mudança de locais de treino poderia ser normal caso ocorresse exclusivamente em função do planejamento da comissão técnica. Um dia na areia, outro na piscina, outro no local do jogo. Nem todos os clubes que possuem sede contam com estrutura para atividades específicas. Contudo, o caso do Flamengo ocorre justamente por falta de uma sede própria. 

O clube que existia no Bela Vista, zona Sul de Teresina, foi demolido e deu lugar a um supermercado. O presidente rubro-negro, Tiago Vasconcelos, explica que o Flamengo não desistiu de ser indenizado em relação a venda do terreno, ainda colocada sob suspeita e motivo futuro de ação judicial - o dirigente afirma que não houve acordo entre as partes para resolver a situação. 

Porém, a solução para o campo de treinamento não reside na sede antiga. O Flamengo descobriu, ainda no ano passado, um terreno de sua propriedade na zona Norte. Tiago Vasconcelos teve acesso aos documentos em cartório e descobriu que a área pertencente ao Leão fica onde hoje foi construída parte do parque Lagoas do Norte - no local está um campo, uma rua e algumas casas. 

Na semana passada, Tiago Vasconcelos se reuniu com o prefeito Firmino Filho (PSDB), do qual é aliado, para tratar da situação. Ao invés de ser indenizado em dinheiro, o Flamengo sugeriu ser compensado com um terreno na região da Santa Maria da Codipi, zona Norte. Os quatro hectares do local seriam suficientes para construir dois campos e iniciar a estrutura da nova sede. 

- A nossa meta é ter os campos lá para a temporada 2018. Nem que sejam só o campo.

Tiago Vasconcelos agora percorre os corredores de órgãos da Prefeitura de Teresina. Já foi, inclusive, até a Procuradoria Geral, que analisa a documentação rubro-negra. Apesar da meta para o próximo ano, não há prazo para que a situação tenha um desfecho. 

Foto: Fla-PI

Tiago Vasconcelos e Georgia Nunes, procuradora geral do Município