Cidadeverde.com

Ataque fatal vira principal arma do River no início de temporada

Fotos: Victor Costa/River A.C.

Tety comemora um dos gols da vitória contra o Piauí

Contra o Piauí, na última quarta-feira, pelo Campeonato Piauiense, as duas primeiras grandes chances do River se converteram em gol. E isso já não é novidade em 2017. 

Os atacantes do Galo estão afinados com a bola. E não só Viola, que já marcou cinco vezes na temporada. Quem entrou em campo no setor deu conta do recado - e de forma, digamos, fulminante. Quando a bola cai nos pés deles, tem sido praticamente fatal. 

Exemplo disso foi o jogo contra o Sport, no último sábado, pela Copa do Nordeste, em Recife (PE). O River teve duas chances de gol. Converteu as duas e garantiu o empate em 2 a 2, contra um adversário que teve mais de 60% de posse de bola na partida.

São seis jogos na temporada sempre balançando as redes - e isso leva em conta o gol mal anulado de Rodrigo Tiuí na eliminação do River na Copa do Brasil, contra o Sete de Setembro (MS). E com esse, são 10 gols marcados até agora. 

Esse gol, por sinal, serve como exemplo do poder de reação tricolor. Foi marcado minutos depois do River sofrer o gol na partida da semana passada, em Dourados (MS). 

Fato semelhante ocorreu em Recife, quando o Galo acabara de sofrer o gol da virada. Três minutos depois, Viola empatou a partida. 


Viola já marcou cinco gols em seis partidas pelo Galo

Autor de dois gols na temporada, Tety diz que a receita do River para as finalizações certeiras é dedicação nos treinamentos. 

- Acho que é muito trabalho, muita finalização, quando o professor pega a gente, o Lucas, o Tales, e aí a gente aprimora nos treinamentos para quando chegar nos jogos acontecer dessa forma que está acontecendo. 

Artilheiro do Galo, Viola confirma:

- É trabalho. Durante a semana a gente trabalha muito com o professor Waldemar, o Lucas, Tales, e está dando resultado. A gente fica feliz por isso.

Waldemar Lemos diz que mesmo com o curto espaço de tempo da pré-temporada houve um esforço para introduzir trabalhos específicos no grupo. 

- Sempre trabalhamos determinadas finalizações, no cabeceio, usando o chute, de várias formas. Mas temos jogadores de qualidade que podem fazer isso, principalmente o Viola, o Tiuí, o Tetu tem feito gol. Isso é muito interessante pra gente.