Cidadeverde.com

Após saída de Waldemar Lemos, jogadores do River pedem união e foco

Foto: Victor Costa/River A.C.

Humberto quer grupo focado nos objetivos do River para 2017

O primeiro treino após a oficialização da saída de Waldemar Lemos do River começou com uma longa conversa entre jogadores e o presidente do clube, Elizeu Aguiar. Escalados para as entrevistas, o meia Humberto e o atacante Viola tentaram não culpar o treinador por qualquer situação e pregaram união do grupo e foco nos objetivos da temporada. 

- A gente tem que se fechar, assim como a gente vem fazendo desde o início da temporada. É uma situação complicada, a gente fica um pouco triste, o professor Waldemar é um grande profissional, mas são coisas que dizem respeito a diretoria - disse Humberto. 

Viola acrescentou:

- Em futebol essas coisas acontecem. Às vezes ninguém entende o que aconteceu. Mas, como a gente disse ali, cabe a diretoria. O que a gente prezou ali é pro grupo permanecer unido, não deixar nada abalar porque a gente vem numa crescente muito boa. Mais importante é que o grupo continue focado.

Quando perguntados sobre as reclamações em tom mais exaltado de Waldemar Lemos após a vitória sobre o Piauí, na última quarta-feira, Humberto disse que cada pessoa reage de uma maneira e preferiu não fazer julgamentos por não saber ao certo o que ocorreu. 

- Ele teve as razões dele para dar aquele desabafo e falar as coisas que ele falou. A gente tem que manter o nosso foco aqui dentro de campo e deixar o extracampo para a diretoria resolver. 

Viola admitiu surpresa, mas seguiu o discurso do meia:

- Você fica surpreso, mas só ele (Waldemar) pode dizer porque ele estava daquele jeito. Não cabe a mim falar. Eu estou focado em levar o River ao  lugar que ele merece e fazer história junto com meus companheiros. 

Os auxiliares Lucas Andrade e Tales Rodrigues vão comandar os treinos do River enquanto a diretoria busca um novo técnico.