Cidadeverde.com

Hungaro no River: 'tenho certeza que muitos colegas queriam estar no meu lugar'

Foto: Fábio Lima/Cidade Verde

Enfim, um treinador. 

Eduardo Hungaro, 53 anos, desembarcou na tarde desta sexta-feira (3) em Teresina (PI) para comandar o River Atlético Clube na Copa do Nordeste, Campeonato Piauiense e Série D do Brasileirão. Ele só deve estrear em definitivo na próxima semana, mas chegou querendo dar sua contribuição para a comissão técnica no clássico deste sábado (4) contra o Flamengo. 

Com passagens pelo futebol poortuguês e fluminense, com destaque para o período em que comandou o Botafogo, em 2014, Hungaro desembarcou empolgado por trabalhar pela primeira vez no Nordeste e elogiou a estrutura do clube piauiense.

- Futebol é movido a desafios. Eu estou muito feliz, muito motivado por estar aqui. É um centro muito importante do futebol. A motivação é grande e vai haver muito trabalho, pode ter certeza disso. (...) Tenho certeza que muitos colegas no Rio de Janeiro queriam estar no meu lugar. 

O substituto de Waldemar Lemos, demitido em fevereiro, se define como um gestor de pessoas. É uma das qualidades que agradam a diretoria tricolor, que pretende manter a paz e harmonia do elenco ao longo da temporada. 

- Hoje o treinador de futebol tem que ser um grande gestor. Essa época da linha dura já passou. Hoje você tem que ter capacidade para liderar, mas sabendo fazer a gestão das pessoas. Na verdade eu sou um grande gestor de pessoas e de egos. No futebol existe muita vaidade. Mas a informação que eu tenho é que o grupo é muito trabalhador e há praticamente ausência dessa vaidade. Isso foi uma coisa que me empolgou bastante. 

Eduardo Hungaro disse que é cedo para falar em reforços e demonstrou ter entrosamento com a comissão técnica, que ele só encontrou pessoalmente no aeroporto. O auxiliar técnico Lucas Andrade, que deve ser o treinador interino contra o Flamengo, conversou longamente por telefone com o novo comandante do Galo, que se disse impressionado com os cuidados tomados pela diretoria. 

Além de integrantes da comissão técnica, membros da diretoria do River estiveram no aeroporto para recepcionar o treinador, ao contrário da torcida do clube.