Cidadeverde.com

Visita do irmão, inspiração em Romário, sangue e golaço: a noite era de Tety

Foto: Victor Costa/River A.C.

- Eu passei bastante mal, quase pedi pra ficar de fora.

Mas não ficou. Tety estava predestinado a fazer o gol da vitória do River sobre o Sampaio Corrêa (MA), ontem (11), pela Copa do Nordeste. Os bastidores dessa história só reforçam isso. 

Após as duas assistências para os gols da vitória sobre o Parnahyba, na quarta-feira, Tety começou a não se sentir bem. O atacante revelou já ter feito uma cirurgia na garganta e, na sexta-feira, escarrou sangue. Cogitou não jogar. Disse que os colegas não sabiam - exceto Viola, que estava com ele na concentração. 

Tety foi para o jogo e fez um golaço. Entortou a coluna do Valderrama e deixou o goleiro Jean rodando feito peru. Na hora decisiva, ele lembrou de outro baixinho que ainda inspira muita gente. 

- Quando eu cortei, eu lembrei do Romário, baixinho, aquele rapa pelo lado esquerdo e fui feliz. Mas nosso time não tem vaidade, ganha todo mundo. Eu apenas contribuí mais uma vez. 

A coletiva de imprensa foi interrompida pelo irmão de Tety. Ulisses Silva Guimarães, 27 anos, veio de Tocantinópolis (TO) para ver a partida e correu para abraçar o herói do jogo e da família. 

Foto: Fábio Lima/Cidade Verde

É ou não é um enredo de quem estava predestinado a fazer o gol da vitória?

E por falar em destino, o técnico Eduardo Hungaro está apaixonado pelo futebol do atacante. 

- O Tety é um jogador raro porque ele ataca o espaço. Ele é um jogador que quer duelar com o goleiro, ele não quer duelar com o zagueiro. A gente tem treinado muito isso. Ele é irresistível quando ele consegue encontrar o tempo da bola. Estou atrás desse jogador já há alguns anos. 

Um achado que deixou o campo aplaudido de pé pela torcida. E que tem tudo para ser aplaudido ainda mais.