Cidadeverde.com

Celso Teixeira já sabia do problema do River antes da derrota. E quer reforços

Fotos: Victor Costa/River A.C.

O River montou um time para ser treinado por Waldemar Lemos, demitido em fevereiro. 

Depois apostou em Eduardo Hungaro, que caiu neste mês. 

Hungaro raramente jogou com três atacantes de ofício, como fazia Waldemar. Chegou a entrar em campo apenas com Viola na frente - seja por opção tática ou por conta dos desfalques. 

Mas Hungaro queria uma peça diferente no elenco, o "meia clássico", que ele definia como o cara que "pifa a defesa adversária". 

Veio Keninha, sem estar no melhor da sua forma - razão para ele não ter sido tão aproveitado pelo próprio Hungaro. 

O treinador caiu com a eliminação do time no Campeonato Piauiense. Para a Série D do Brasileirão, veio Celso Teixeira, que não é Waldemar e nem Hungaro. Vieram com ele quase 10 reforços - e o novo técnico quer mais. 

Teixeira mudou o time ppara a estreia contra o Guarany de Sobral (CE). Nomes como o zagueiro Oscar Brizuela, até antes titular absoluto, ficaram no banco de reservas e deram lugar aos novatos - alguns deles nitidamente sem o mesmo ritmo físico dos que já estavam no elenco. 

O River abriu o placar com Humberto no primeiro tempo e poderia ter feito mais. Na etapa final, o time despencou e sofreu a virada: 2 a 1 em casa, com cerca de 1.500 riverinos presentes, contra um dos times rebaixados no Campeonato Cearense deste ano. 

As opções de Celso Teixeira podem até ser questionadas pelos torcedores tricolores. Mas o treinador tem razão ao relatar um problema nítido no time tricolor, que por alguns momentos se dividiu em dois dentro de campo: os de trás e os que ficam esperando a bola na frente, sem ninguém no meio para fazer essa ligação. 

O técnico tricolor disse que conversou com a diretoria antes mesmo do jogo com o Guarany de Sobral, sobre três ou quatro reforços, principalmente para criação das jogadas no meio, para acabar com a ligação direta, os chutões da defesa para a bola chegar ao ataque. Celso Teixeira disse que o desempenho no jogo confirmou o problema. 

Restam cinco jogos para o River conquistar a classificação para a próxima fase da Série D e seguir sonhando com o acesso. E falta tempo para encontrar peças com as características pedidas por Teixeira. 

Ouça a entrevista da Rádio Cidade Verde com o treinador após o jogo: