Cidadeverde.com

Sarah Menezes vence vice-campeã olímpica e vai ao pódio pela 1ª vez em nova categoria

  • sarah_cancun-7.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-6.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-5.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-4.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-3.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-2.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-1.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF

Pouco mais de um ano depois do seu último pódio internacional, Sarah Menezes volta a conquistar uma medalha. Outra prata, tal qual a obtida em maio de 2016 no World Masters de Judô. E de novo no México, mas desta vez em Cancun - a do ano passado foi em Guadalajara. 

As coincidências terminam quando se recorda que aquela competição foi a última antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, ainda na categoria ligeiro (48kg). A prata de ontem, no Grand Prix de Cancun, foi a primeira medalha da piauiense na categoria meio-leve (52kg), na qual começou a competir neste ano. 

No novo peso, foram 13 lutas no circuito internacional. São 6 vitórias e 7 derrotas até agora. Normal para quem está se adaptando a uma nova fase na vida - o que você, leitor do Cidadeverde.com, tem acompanhado aqui ao longo dos últimos meses.  

E a sequência de torneios tem sido escolhida para que essa evolução seja feita gradativamente. Começou em fevereiro, com uma vitória e a eliminação nas oitavas-de-final da Copa do Mundo de Sofia, na Bulgária. Depois veio o 7º lugar no forte Grand Slam de Paris. Em março, conquistou o quinto lugar no Grand Slam de Baku, no Azerbaijão. No mês passado, um revés com a eliminação na estreia no Grand Slam da Rússia. Agora, a prata. 

O torneio no México é novo no circuito. Número de atletas mediano, sem as temidas asiáticas e alguns nomes de peso. Ideal para Sarah ganhar ritmo. 

A estreia já foi logo nas quartas-de-final, contra a croata Tena Sikic, número 41 do ranking mundial. Vitória brasileira com um waza-ari. 

Na sequência, na semifinal, um confronto mais difícil. A italiana Odette Giuffrida foi prata nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Mas Sarah Menezes conseguiu um waza-ari faltando 50 segundos para o fim da luta. Veja abaixo na íntegra:

A decisão foi contra a mexicana Luz Olvera, número 38 do ranking mundial. Pressão da torcida adversária e luta definida somente no golden score, o tempo extra de desempate. Sarah Menezes sofreu a terceira punição e acabou eliminada. Novamente abriu os braços em tom de contestação, mas paciência. A prata já tá valendo.