Cidadeverde.com

Parnahyba 0x1 CSA - o Tubarão fez o que deu na pré-Copa do Nordeste

O Parnahyba começou perdendo ao não entrar de azul. Não sei o que aconteceu, mas quem jogava em casa era o Tubarão. O CSA que viesse de branco. 

Em segundo lugar, era esperar demais uma melhor atuação de um time que começou a treinar há duas semanas, por mais que praticamente todos os jogadores já se conheçam. Os reservas do CSA têm mais ritmo de jogo - e por mais que isso soe humilhante, não é nenhuma surpresa, dadas as circunstâncias. 

Na verdade, eu prefiro analisar o pré-jogo, porque qualquer comparação entre Parnahyba e CSA só seria novidade se envolvesse superioridade da equipe piauiense. 

E o pré-jogo que falo não envolve os dias e horas que antecederam a partida, mas a forma enrolada como se deu essa pré-Copa do Nordeste, que até agora tem dois dos seus quatro confrontos com datas indefinidas. 

A CBF pretendia fazer esses jogos em maio. Mas foi em maio que a Confederação divulgou o regulamento do torneio, para que o mesmo ocorresse em julho. As partidas estão acontecendo em agosto. 

Se fosse em maio, o Parnahyba teria um time - o vice-campeão piauiense. Em julho, seria o time agora eliminado da Série D do Brasileirão. Mas teve de montar uma equipe de última hora. Contratou treinador e jogadores para apenas duas partidas. 

Indefinições como essa pesam contra quem não tem calendário e está em busca justamente de um lugar ao sol no futebol brasileiro. Não dá para exigir dos cofres do Tubarão pagar folha salarial enquanto espera data de competição ser definida.

Se o Parnahyba iria conseguir superar o CSA em maio ou em julho, nunca saberemos dizer. Mas eu prefiro cobrar de um clube que tem as dificuldades que tem quando a culpa pela montagem do elenco em cima da hora for exclusivamente dele. Certamente, em 2018 esse torneio seletivo será melhor definido e ninguém passará por situação semelhante.

Em campo, o Tubarão fez o que pode. Talvez faça até mais no jogo de volta, mas é difícil montar uma equipe em cima da hora e enfrentar o líder da Série C do Brasileirão. 

E continuo a dizer que o Parnahyba, sua história, e o esforço de seu Pedro Alelaf em preservá-la, merecem muito mais. Os parnaibanos sabem disso. E torço para que esse dia do Tubarão ganhar novos mares chegue o quanto antes. Quem sabe, no Nordestão 2019.