Cidadeverde.com

Quem tem medo do Náutico?

Foto: Léo Lemos/@nauticope

O técnico Waldemar Lemos chegou a considerar a chave do Altos como "Grupo da Morte" antes mesmo da definição do último integrante - e acrescentou que seria ainda mais difícil com o Náutico. 

Perdão, torcedor alvirrubro: hoje, não é para tanto. Camisa até que pesa e merece respeito, mas o que o Timbu apresentou nos dois jogos da fase preliminar da Copa do Nordeste anda longe de assustador adversários. Ou melhor, assusta a torcida do próprio Náutico. 

Os problemas financeiros do clube repercutem dentro de campo. O Náutico tenta se reerguer após o rebaixamento para a Série C do Brasileirão. Ou melhor, recomeçar. O novo time carece de ritmo, entrosamento e tudo aquilo que um grupo reunido recentemente vai sentir no início da temporada. 

Falta especialmente criação do descoordenado meio-de-campo do Timbu. E sem isso, a bola dificilmente chega aos atacantes - o que leva o time a não fazer gols e ajuda a explicar o 0 a 0 nos dois últimos jogos. 

O Grupo C do Nordestão tem o Bahia como favorito a uma das duas vagas na próxima fase. Altos e Botafogo (PB), em tese, correm por fora para tomar a segunda vaga do Náutico.

Mas se Waldemar Lemos conseguir encaixar seu time nesta quarta-feira (17), o Jacaré morde o Timbu. E a melhor hora para fazer isso é agora, antes do Náutico se organizar na competição.