Cidadeverde.com

Governo do Piauí quer concluir concessão do ginásio Verdão até junho

Foto: Pablo Cavalcante/Rádio Cidade Verde

Em entrevista no Cidade Verde Notícias desta terça-feira (20), o presidente da Fundação dos Esportes do Piauí (Fundespi), Paulo Martins, afirmou que o Governo espera concluir até junho o processo de concessão do ginásio Dirceu Arcoverde, o Verdão, para a iniciativa privada. 

A proposta já foi levada para a Assembleia Legislativa e precisa de aprovação dos deputados estaduais. 

- A gente tem pressa, mas depende da Assembleia. Ainda tem a Semana Santa, que é na próxima semana, e depois vai para o Governo do Estado sancionar. Vamos ter uma audiência pública ainda para discutir os detalhes e ver as melhores propostas.

Até junho, a concessão poderia ser feitas sem gerar impedimentos por conta da legislação eleitoral. Mas Paulo Martins justifica o prazo também pela pressa das entidades esportivas pela reabertura do ginásio.  

- Nossa vontade é que a gente encerre esse processo até junho. É importante abrir aquela praça (de esportes). 

Investimentos
Paulo Martins explica que a concessão deverá implicar em investimentos de R$ 3,5 milhões por parte da iniciativa privada, em setores como sonorização e outros não contemplados na reforma do ginásio ainda em fase conclusiva. 

Foto: Wilson Filho/Cidadeverde.com

O presidente da Fundespi acredita que o processo será concluído com mais rapidez porque o Verdão não tem dívidas e outros problemas que precisem ser negociados - como ocorreu em outras parcerias do Estado com a iniciativa privada. 

A reforma, que já dura anos, deve ser concluída em 60 dias com alguns ajustes, como a colocação dos pisos de cada modalidade - o do basquete já chegou e os de handebol, futsal e vôlei ainda são aguardados. 

Eventos isolados de futsal e basquete foram realizados nos últimos meses, mas a Fundespi tem evitado novas exceções para que os próximos já sejam feitos com a empresa que vencer a concorrência. 

Foto: Wilson Filho/Cidadeverde.com

Calendário dividido
Com a iniciativa privada, o Verdão poderá receber shows, eventos religiosos, artísticos e também esportivos em dois terços do ano. No resto dos dias, o uso será para atividades da Fundespi, segundo Paulo Martins.

Isso não está previsto no projeto enviado para a Alepi. O texto a ser apreciado pelos deputados prevê que haverá contrato específico, "no qual serão estabelecidas as condições da concessão", com ônus e obrigações.  Ou seja, o compromisso anunciado por Martins deve constar no contrato a ser assinado pela empresa vencedora da concorrência. 

O presidente da Fundespi também informou que 20 salas irão funcionar como sedes de entidades esportivas. 

Ouça a entrevista na íntegra: