Cidadeverde.com

Eduardo explica cavadinha em pênalti aos 50 minutos do 2º tempo: "momento ideal"

Fotos: Wilson Filho/Cidadeverde.com

O árbitro deu cinco minutos de acréscimos. Bola na área do Sampaio Corrêa e... É pênalti para o River!

Eduardo vai para a cobrança aos 50 minutos do segundo tempo. É chutar a bola e encerrar o jogo. Ou o River empata em 2 a 2 ou perde em casa por 2 a 1.

O atacante do Galo pensou: em qual canto eu vou chutar? Mandou no meio, de cavadinha, frio e calculista. 

- É um momento que ninguém espera. Foi a melhor maneira que eu vi de fazer o gol, já que o goleiro deles é bem grande. Eu pensei que se eu batesse no canto e ele fosse, ele iria pegar. E é o momento que ele não tá esperando também ninguém fazer isso. Acho que é o momento ideal para fazer umas loucuras assim. 

A torcida que vaiava o time, aplaudiu. Afinal, Eduardo já havia feito o primeiro gol do tricolor piauiense. E depois de balançar as redes, o atacante devolveu as vaias com beijos. 

- Nada melhor do que mandar beijo pra eles do que explodir de outra forma (risos). 

O artilheiro do Galo com 7 gols neste ano valorizou o empenho da equipe, que vem da ressaca da derrota na final do Campeonato Piauiense por 4 a 2 para o Altos e saiu atrás no placar contra o Sampaio. 

- Lutamos até o final. É difícil você reverter um jogo perdendo de dois em casa, a torcida vaiando a gente. A equipe mostrou força e um poder de reação muito grande. 

Além da luta do time, há uma luta pessoal de Eduardo. Sentindo dores musculares, o atacante tem feito fisioterapia para dar conta do ritmo de jogos. Quando muitos imaginam que ele será substituído no segundo tempo, o jogador fica em campo até o final - imagina bem aí se ele não tivesse aguentado seguir em campo... 

- É uma superação. Vocês estão sabendo que eu estou há dois jogos com um certo problema físico. A gente vem tratando e vai dando para jogar os 90 minutos. Agora vamos ter uma semana completa para trabalhar, descansar, fortalecer a musculatura, e na próxima quarta eu vou estar 100%.

Eduardo vive um bom momento. Está feliz, otimista, satisfeito com a superação pessoal e inspirado. O passe para Fabiano no primeiro gol do River contra o Altos, na decisão do estadual, foi uma demonstração disso. Se o River se inspirar nele, o Sampaio que se cuide no jogo de volta.