Cidadeverde.com

A boa e a má notícia: não vai ter Série B do Campeonato Piauiense

Primeiro eram seis clubes. Depois ficaram apenas quatro. 

Cori-Sabbá, de Floriano, e Picos não apareceram nas últimas reuniões. 

Caiçara e Comercial, de Campo Maior, Ferroviário, de Parnaíba, e o Esporte Clube Timon (MA) ainda queriam participar. 

Houve movimentação nos bastidores para contratar jogadores e brigar por duas vagas na Série A do Campeonato Piauiense. 

Mas não adianta ter time se não há estádio. 

E eis a má (e a boa) notícia: pelo segundo ano consecutivo, a Série B do Campeonato Piauiense foi cancelada. 

Não ter torneio no segundo semestre é péssimo para o futebol local. jogadores ficam sem trabalho, parte da imprensa que é dedicada ao futebol fica sem assunto, a torcida perde o hábito de ir aos estádios e vai buscar o futebol nacional na televisão... 

Isso sem contar que não há rebaixamento sem divisão de acesso. A Série A de 2019 terá somente seis clubes, que não poderão cair. Isso vai permitir casos como o do Flamengo, que neste ano cumpriu tabela em meio a sua crise interna. 

Mas há lado bom do cancelamento da Série B, que serve de lição. 

E que não deveria sequer ser elogiado, porque não passa de mera obrigação da Federação de Futebol do Piauí. Mas que bom que a FFP hoje tem amparo legal para barrar um clube que não tem condição de jogar. 

Torcedor, me diga, o que é pior: não termos o campeonato ou acompanharmos uma competição com jogadores sem saber sequer onde irão jogar (ou até treinar)? Não ter o torneio ou ser motivo até de mico nacional?

De que adiantaria começar uma competição em Campo Maior para que os jogos tivessem de ser transferidos para Teresina no decorrer do torneio?

E outra: a primeira reunião para tratar da competição foi no dia 21 de maio, quando a seleção brasileira começou a treinar para a Copa do Mundo. Já estamos em julho e o Brasil foi até eliminado na Rússia. Se nesse período nenhum clube conseguiu laudos que garantam a segurança dos estádios onde pretendem jogar, o que faz crer que esses documentos seriam concedidos num futuro próximo?

No passado eu já critiquei a segunda divisão piauiense. Fazer torneio com quatro times para subir apenas dois soava ridículo. Hoje, só acho ridículo que chamem uma competição desse tamanho de "Segundona".  

Mas com o tempo ficou mais do que claro para mim que não ter divisão de acesso é permitir que qualquer um que ache que tenha condições de bancar um time entre no campeonato sem ter a mínima experiência do que é dar conta disso. 

Digo mais: a divisão de acesso impede também que se entre no torneio sem todas as garantias para pagar salários de jogadores ou até mesmo o transporte dos atletas. Eram seis equipes, mas duas já nem foram para as últimas reuniões... 

Nos últimos dias, o torcedor piauiense viu Ferroviário (CE) e Imperatriz (MA) subirem para a Série C do Brasileirão. E nosso futebol se acostumou a criticar que não conseguimos ter o mesmo sucesso dos nossos vizinhos.

Mas como pode um estado sair da última divisão nacional se até o campeão piauiense enfrentou problemas com seu estádio em 2018?

De todos os problemas do nosso futebol, esse talvez tenha de ser prioridade. Porque não adianta ter time se falta lugar pra jogar.