Cidadeverde.com

Com prorrogação e polêmica, JES é campeão piauiense de futsal masculino

  • futsalm-final-c--2.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-c--1.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-b--2.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-b--1.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-a--6.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-a--5.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-a--4.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-a--3.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-a--2.jpg Fábio Lima/Cidade Verde
  • futsalm-final-a--1.jpg Fábio Lima/Cidade Verde

Teve até Hino Nacional no saxofone. A noite prometia um grande jogo, entre as duas melhores equipes do futsal piauiense: o invicto JES Futsal e o forte time do Mesa 14/AABB. Quem foi ao ginásio Verdão viu uma grande partida, apesar do 0 a 0 no tempo normal. Mas parte da torcida saiu frustrada, com vaias para a arbitragem. No fim, o JES venceu por 2 a 1 e chegou ao título inédito. 

Depois que o sax parou e a bola começou a rolar, a partida foi marcada por lances de perigo, com direito a bolas na trave, apesar da falta de gols. Com o 0 a 0 no tempo normal, o jogo foi para a prorrogação - e foi nos dois tempos de cinco minutos que os ânimos começaram a se exaltar.

Uma inversão de falta foi a principal reclamação do time da AABB. Depois disso, os jogadores começaram a se revoltar com a arbitragem, como explicou Igor Mororó, capitão da equipe.

- Acabaram dando uns tiros livres para eles e outros lances que eram mais claros para nós não foram dados. E aí não tem como, a equipe acaba ficando um pouco pilhada, perde um pouco o controle emocional do jogo. E no final, você viu o que aconteceu: em 15 anos de futsal que eu tenho, acho que é a primeira vez que eu vejo uma equipe ser campeã e uma vaia geral aqui no Verdão. É triste porque a gente sente que não perdeu a final. A gente sente que ela nos foi tirada. 

Jogadores e comissão téncica do Mesa 14/AABB parabenizaram o JES pelo título e focaram as críticas aos árbitros da partida. O discurso defendido pelo treinador Renzo Ferreti foi ponderado, com um pedido de que a arbitrage passe por reciclagem e qualificação. 

Atletas e dirigentes do JES também lamentaram ao fim da partida, mas sustentaram que a arbitragem errou para os dois times e é normal que os derrotados se sintam mais prejudicados. 

Na prorrogação, o JES poderia ter aberto o placar com Bolt, mas o goleiro Eduardo defendeu o tiro livre. Depois, em boa jogada, Aylson colocou a AABB na frente. Mais tarde, no entanto, Belauto converteu outra cobrança de tiro livre e empatou. E Bolt virou o jogo para o JES - que teve a vitória ameaçada por uma cobrança de tiro livre da AABB no fim da partida, defendida pelo goleiro do JES. 

Campeão do primeiro turno, o JES conquistou o returno e o título do torneio - se a AABB fosse campeã do 2º turno, um novo jogo entre as duas equipes aconteceria na quinta-feira. O título garantiu o JES Futsal como representante do Piauí na Taça Brasil de Clubes em 2019. 

Depois de bater na trave nos últimos anos, Bolt comemorou o primeiro título estadual do clube.

- Final sempre é uma final. A gente sabe que quem errar menos leva a melhor. Nós já queríamos encerrar o campeonato. Sabíamos que a AABB vinha para o tudo ou nada. Foi um jogo bem estudado e na prorrogação os times tiveram que se abrir. Foi um jogo bom, as equipes se conhecem e sabem da qualidade um do outro.