Cidadeverde.com

Rômulo pode dar volta por cima no Grêmio com exemplo de colega do Piauí

Luciano Amoretti / Grêmio FBPA

A oficialização do empréstimo do volante Rômulo para o Grêmio pode ser um passo definitivo na carreira do jogador piauiense, hoje com 28 anos. 

Os dois anos no Flamengo foram frustrantes para a torcida, que não viu o reforço repatriado do Spartak Moscou em 2017 render o esperado. Mas deve ter sido uma decepção para o próprio Rômulo, prejudicado por lesões e sem espaço no time rubro-negro. 

No banco de reservas, Rômulo teve chances com todos os treinadores que passaram pelo rubro-negro, mas teve de ouvir vaias da torcida quando entrou em campo, e viu o clube contratar outros volantes. Não havia mais clima. 

Contudo, o contrato é de empréstimo por um ano. Rômulo ainda pertence ao Flamengo, e pode voltar ao rubro-negro em 2020. 

Um exemplo disso, Rômulo tem no seu Piauí, e também no Flamengo: o volante Jonas, que foi seu colega de clube no início da temporada passada. 

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Jonas foi emprestado pelo Flamengo e quis voltar ao clube para mudar sua imagem. Conseguiu.

De Teresina, Jonas chegou ao Flamengo em 2015, após o sucesso de sua passagem pelo Sampaio Corrêa (MA). Ficou conhecido como jogador de raça e pelas roubadas de bola, mas ao mesmo tempo um volante faltoso e um colecionador de expulsões. 

A torcida ficou na bronca, Jonas perdeu espaço no time e acabou emprestado para a Ponte Preta (SP), Dínamo de Zagreb (Croácia) e Coritiba (PR). 

Depois da passagem no clube paranaense, com um número de cartões bem menor do que era habitual, o próprio Jonas demonstrou o desejo de voltar ao Flamengo. Disse que queria apagar 2015. E conseguiu. 

Até metade de 2018, Jonas era nome frequente no time titular do Flamengo e sem o mesmo histórico de faltas e expulsões. No meio do ano, aceitou proposta do Al-Ittihad e foi desbravar a Arábia Saudita.

É claro, as situações são bem diferentes. Mas Jonas deu sua volta por cima. E Rômulo também pode fazer o mesmo. 

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Os piauienses Renê, Jonas e Rômulo ouvem o meia Diego em treino do Flamengo, em 2018

No Grêmio, terá o apoio do técnico Renato Gaúcho, que ficou conhecido por fazer render novamente jogadores que estavam em baixa em outras equipes. 

No futuro, ao contrário de Jonas, que foi ganhar seu dinheiro no mundo árabe, Rômulo pode permanecer no Brasil e retomar o caminho que trilhava no início da década, quando foi medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. O piauiense já mostrou que tem futebol para vestir a camisa da seleção brasileira e pode voltar a sonhar com isso. Só depende dele. 

O assunto foi tema do meu comentário no Cidade Verde Notícias desta quinta-feira (3). Ouça na íntegra: