Cidadeverde.com

Após recontratar Leandro Campos, Altos decide trazer jogo da Série D para Teresina

  • felipao-altos-21-05-19-9.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-8.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-7.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-6.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-5.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-4.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-3.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-2.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • felipao-altos-21-05-19-1.jpg Luís Júnior/A.A.Altos

Além de voltar atrás e trazer de novo o técnico Leandro Campos para o comando do time, a diretoria do Altos decidiu transferir o jogo com o Central (PE), pela quarta rodada da Série D do Brasileirão, para Teresina (PI). A partida será no próximo domingo (26). 

A diretoria do Altos solicitou para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que o jogo aconteça no estádio Lindolfo Monteiro, às 16h - antes, a partida aconteceria às 15h30, por conta dos problemas de iluminação do Felipe Raulino. 

O clube informou que a decisão foi tomada após conversa com jogadores. O Cidadeverde.com apurou que ainda no Campeonato Piauiense a diretoria ouviu pedido dos atletas para que pudessem jogar em Teresina por conta das condições precárias do gramado do Felipe Raulino. 

Pesou também a possibilidade de chuva - há previsão de tempo ruim na tarde e noite de domingo, o que pode deixar o campo do estádio Felipe Raulino tomado por lama. 

A mudança para o Lindolfo Monteiro também pode ser uma solução para a última rodada, contra o Maranhão. No dia 9 de junho, todos os jogos terão de acontecer às 18h (horário de Brasília).

A volta do Felipão do Nordeste
No treino de ontem (21), realizado no Felipe Raulino, a mudança de local era tratada como uma possibilidade. Mas o novo treinador deixou claro que o time precisa vencer o Central onde quer que o jogo aconteça. 

Um dos motivos que obrigam o Altos a uma vitória está no próprio retorno do treinador. Demitido em fevereiro, ele reconheceu que sua recontratação é uma situação atípica, mas enalteceu o trabalho feito na sua primeira passagem pelo Jacaré e destacou que o elenco agora tem mais opções no ataque do que no começo da temporada. 

- Hoje nós temos jogadores mais específicos da posição. Anteriormente, nós tínhamos improvisado lateral como atacante, meia como atacante, e hoje nós temos mais consistência com relação a esses jogadores. Por isso eu acredito muito. (...) Nós estamos conscientes e com a responsabilidade de buscar esse resultado.