Cidadeverde.com

Altos vira nos acréscimos, vence Central e segue vivo na Série D

  • altos-central-17.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-16.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-15.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-14.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-13.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-12.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-11.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-10.jpg Elziney Santos / FFP
  • altos-central-8.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • altos-central-7.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • altos-central-6.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • altos-central-5.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • altos-central-4.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • altos-central-3.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • altos-central-2.jpg Luís Júnior/A.A.Altos
  • altos-central-1.jpg Luís Júnior/A.A.Altos

Ampliada às 19h50

Na tarde deste domingo (26), o jogo que poderia custar a temporada para o Altos, o alívio só veio nos acréscimos. 

O time piauiense virou o placar contra o Central (PE) no Lindolfo Monteiro, em Teresina (PI), venceu por 2 a 1, e manteve as chances de classificação para a próxima fase da Série D do Campeonato Brasileiro. 

Leandro Costa abriu o placar para o Central, aos 10 minutos de jogo. Manoel empatou no fim do primeiro tempo. E Radsley garantiu a vitória aos 46 minutos da etapa final. 

O Altos continua na terceira posição do Grupo A05, mas agora tem os mesmos 6 pontos do Central (PE) e perde a vice-liderança no saldo de gols (+3 contra -3). O líder é o Atlético (CE), que chegou a 12 pontos após vencer o agora eliminado Maranhão por 2 a 1, na sexta-feira (24). 

Na próxima rodada, o Altos vai enfrentar o Atlético (CE) fora de casa, no próximo sábado (1º). No dia seguinte, o Central visita o Maranhão. 

Susto no início
O Altos entrou em campo modificado. A principal mudança foi no gol: Camilo fez sua estreia e se tornou o quarto goleiro titular do Jacaré na temporada. Douglas, seu antecessor, sequer foi relacionado. A zaga também foi modificada, com Leone de volta ao time titular. 

Precisando da vitória para "manter seus empregos", como disse o técnico Leandro Campos ao longo da semana, o Jacaré tomou um susto logo aos 10 minutos de jogo. Em jogada pelo meio, Leandro Costa chutou no lado esquerdo de Camilo e abriu o placar. 

Elziney Santos/FFP

O gol aumentou a pressão do time - tensão que foi sentida no banco de reservas. Depois de reclamar da arbitragem, o lateral Wesley foi expulso sem sequer entrar em campo, aos 27 minutos de partida. 

Empate na insistência
Em campo, o volume de jogo do Altos crescia. Manoel era quem mais aparecia com perigo, seja aos 31 minutos, quando caiu na grande área e pediu pênalti, ou no lance seguinte, após aproveitar a bicicleta de Jorginho e quase abrir o placar. 

A sequência de jogadas terminou em gol aos 40 minutos. Em mais uma bola cruzada na área do Central, Manoel, mesmo deitado na pequena área, chutou com a perna esquerda e empatou o jogo: 1 a 1. 

Mais pressão do Altos
O empate não ajudava os donos da casa, que voltaram do intervalo pressionando. Aos 2 minutos do segundo tempo, Reinaldo Alagoano chutou e a defesa do Central tirou em cima da linha do gol. 

Foi a melhor chance do Jacaré antes da parada técnica. O Central melhorou a postura defensiva e o Altos se viu forçado a tentar chutes de fora da grande área, sem muito sucesso. 

Leandro Campos começou a mexer no time. Colocou Ancelmo no meio e Raphael Freitas e Radsley no ataque - este último no lugar do zagueiro Leone. 

Manoel continuava tentando a virada, mas o Central começou a levar perigo nos contra-ataques. O goleiro Camilo fez pelo menos duas defesas importantes. 

Da broca ao gol
Aos 40 minutos, Radsley chutou, mas o goleiro França defendeu com facilidade. A jogada irritou Manoel, que esperava a assistência do colega de ataque. 

Seis minutos depois, ninguém tinha motivos para reclamar. Ancelmo cruzou e Radsley chutou forte para virar o jogo: 2 a 1, com direito a cartão amarelo por tirar a camisa na comemoração. 

O time, a torcida do Altos e talvez até a arbitragem sabem bem que o Radsley pouco se importou com o cartão amarelo. 

Luís Júnior/A.A.Altos