Cidadeverde.com

Piauí tem 9 convocados para o Pan Júnior de Badminton; lista gera reclamações

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Integrante da seleção adulta, Jaqueline Lima está entre as convocadas para o Pan Júnior

A Confederação Brasileira de Badminton (CBBd) divulgou a lista dos convocados para o Pan-Americano Júnior de Badminton, que acontecerá entre 12 e 20 de julho em Moncton, no Canadá. 

A relação, anunciada na última sexta-feira (24), conta com nove atletas do Piauí, sendo cinco deles convocados para o torneio por equipes - o que os garante apoio financeiro da CBBd para a competição. Os nomes foram escolhidos pela comissão técnica da seleção brasileira júnior. 

Todos os piauienses convocados para o Pan Jr. por equipes fazem parte do clube Joca Claudino, como se vê na lista:

Jaqueline Lopes Lima – JOCA-PI
Tamires Santos - Fonte
Juliana Viana - JOCA-PI
Sânia Lima – JOCA-PI
Sayane Lima - JOCA-PI

Willian Guimarães – ASSVP
Rafael Gustavo de Faria – ASSVP
Gabriel Cury – Fonte
Marcos Ryan Santos Sousa – JOCA-PI
Rafael Cabral – SHC

Outros 65 nomes foram classificados para as disputas de simples e duplas - mas estes terão de arcar com as próprias despesas. Esta outra lista foi definida com base exclusivamente no ranking nacional, e os convocados têm até 3 de junho para confirmar presença. 

Nessa outra lista, o Piauí teve quatro convocados - todos da categoria Sub-17 e integrantes da Associação de Badminton do Grande Dirceu (Asbagdi):

Paulo Teodoro Feitosa Alves Vieira (ASBAGDI)
Isabelle Cristine Rodrigues de Oliveira (ASBAGDI)
Maria Emanuelle Ferreira da Rocha (ASBAGDI)
Fernando da Costa Vieira Junior (ASBAGDI)

A seleção brasileira aguarda a finalização da climatização do centro de treinamento da Universidade Federal do Piauí (UFPI) para definir o período de treinos antes da viagem para o Canadá.  

Lista da discórdia
Em que pese a importância de ser convocado para o Pan Júnior, o principal interesse dos atletas é estar na lista da seleção por equipes - e por motivo óbvio: ter as despesas da viagem arcadas pela CBBd. 

Por isso a frustração de Paulo Feitosa e Emanuelle Rocha, líderes do ranking de simples na categoria Sub-17. Ambos ficaram fora da lista do Pan Jr. por equipes, o que motivou uma nota no site da Asbagdi em defesa de seus atletas

“Eu me sinto frustrado e triste, porque cheguei ao primeiro lugar, achei que era suficiente para garantir uma convocação para o Por Equipes, mas dependemos de escolha e isso faz com que os atletas desistam como fizeram os gêmeos”, disse Paulo Feitosa, no site da Associação.

A referência aos gêmeos trata dos irmãos Davi e Deivid Carvalho, atletas do Miratus (RJ). Vice-líder do ranking Sub-17, Davi anunciou em seu perfil no Facebook que está desistindo do esporte. 

Em outra postagem, o treinador Sebastião Oliveira disse que não conseguiu explicar aos atletas porque um campeão de categoria inferior foi convocado em detrimento de Davi, campeão nacional e sul-americano. 

Entre os convocados da seleção por equipes estão Rafael Cabral, que aparece na lista de reservas para o Pan nas duplas mistas, e Marcos Ryan, que não aparece na convocação individual ou de duplas do Sub-15, mas recentemente disputou o Brasil Internacional no Sub-19 - assim como Rafael. 

Ranking pode mascarar resultados, diz treinadora
A treinadora da seleção brasileira júnior de badminton é a piauiense Norma Rodrigues, que reforçou ao Cidadeverde.com a autonomia para fazer a convocação - realizada com uso de critérios técnicos que vão além do ranking. 

"Baseado nisso, tanto nós do juvenil como adulto analisamos tanto resultados nacionais, internacionais, desempenho em clínicas, treinamentos de campo...", explicou a treinadora.

Por isso, nomes como o de Juliana Viana, que competiu nesta temporada na Espanha e sequer aparece no ranking brasileiro, e Jaqueline Lima, bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude do ano passado e hoje integrante da seleção adulta, estão entre as convocadas. Norma Rodrigues diz que a situação do time masculino é semelhante. 

"Montanos uma equipe onde precisamos ter atletas para compor um time, não somente uma modalidade", acrescenta Norma Rodrigues. "Precisamos de atletas para o Pan Jr. com mais bagagem internacional e não somente nacional, mesmo sabendo que essa realidade ainda é bem distante para muitos."