Cidadeverde.com

Cartas e búzios

O portal Globoesporte.com publicou previsões para 2010 da cartomante Cinara Mattos e do espírita Ubirajara Pinheiro, o Mago. Os dois divergiram quanto ao ano no Judô.

Cinara disse que Tiago Camilo é garantia de ouro em 2010, enquanto Sarah é certeza de medalha:

- Vai trazer medalha, mas não é de ouro. Vai começar a crescer e não vai parar.

O Mago foi rápido ao dizer que não vê medalha de ouro para os dois.

Acredite quem quiser. Por mim, deixa quieto, que de quimono e tatame a Sarah e o Tiago entendem.

Ano novo: um judoca e o recomeço em 2010

Estava a caminho para o trabalho nesta semana quando encontrei o judoca Dyego Silvestre Brito. Bom atleta e bom caráter, passa férias com a família no Dirceu Arcoverde II, zona sudeste, onde morava até dois anos atrás.


Dyego Brito, ao centro, matando a saudade do técnico Expedito Falcão e da colega Hayssa Ewellin em competição universitária disputada neste 2009

Dyego se mudou para a Bahia em 2007, junto com Benito Mussolini Neto, Reigiane Silva, e Leonardo Pacheco. Todos patrocinados pela faculdade FTC, de Salvador.

Reigiane se mudou para Santa Catarina. Leonardo passou em um concurso na Bahia e vai virar policial, além de continuar com os estudos e o Judô - o esporte o encaminhou na vida. Benito também está de férias em Teresina, e volta para Salvador em janeiro e treinará por uma vaga na seleção brasileira. Dyego, que não conseguiu se fixar em uma categoria para ser titular da seleção baiana, decidiu não voltar.

- Eu vou ficar aqui mesmo. Vou tentar transferir meu curso de Administração, quero ficar com a minha família. Não é nem questão de judô. Quero ficar perto dos meus parentes.

Tomara que o alívio na saudade seja recompensado. Em Salvador, Dyego Brito tem morada, estudos, alimentação, e treinos bancados pela faculdade. No Piauí, o patrocínio é incerto - para não dizer improvável -, assim como para qualquer judoca. Decisão difícil de se tomar.

Dyego Brito foi para a Bahia na categoria até 60kg. Lá, mudou para a até 66kg. Quando retomar os treinos no Judô Expedito Falcão, mesma academia de Sarah Menezes, ele começará a definir seu peso. No primeiro, terá a concorrência direta pela vaga de titular do Piauí contra Samuel Azevedo e Flávio Moreno. No segundo, a disputa é com Nilo Carvalho e Stanley Torres. Em qualquer uma das categorias, a briga será boa.

Neste 31 de dezembro, Dyego Brito comemora 24 anos de vida. Mais que para os outros, todo novo ano para ele é o início de uma nova jornada. E por isso decidi que esta seria a última história do blog em 2009. Um exemplo para quem faz as famosas promessas da virada e precisa tomar decisões importantes, e para encorajar não só os colegas de treino, mas você também. Para isso acompanhamos esportes: torcer, vibrar, se emocionar, e imitar os bons exemplos.

O Dyego tomou sua decisão. Qual é a sua?

Feliz 2010!

Fotos: Ronaldo Angelim em Oeiras

As fotos são de Adileuza Pacheco e foram publicadas no site Mural da Vila, de Oeiras.



Ronaldo Angelim ficou na casa do secretário de Esportes, Cabo Chico, e autografou dezenas de camisas do Flamengo antes de jogar pelo time do Amigos do Marciano, atacante ex-Coritiba.

Sim, não era um contra o outro, eram os dois no mesmo time contra a seleção de Oeiras. Não falei que conseguir informação precisa tão longe é complicado? Sempre surge um ruído.



Amigos de Marciano eram Ronaldo Angelim, Fernando, Sóstenes, Gugu, Pantico, Roberto Maguila, Marciano Nascimento (que joga na Noruega), e Jairinho, e companhia. A seleção de Oeiras tinha, entre outros nomes, Pauliano, Manãn, Jardel, Ticô, Paulinho, e Cássio.

Marcaram para os Amigos de Marciano: Sóstenes (2), Fernando, Ronaldo Angelim, e alguém que fico devendo. Pauliano e Manãn descontaram.

O jogo beneficente foi no estádio Gerson Campos na noite de quarta-feira (30). Não existem informações sobre renda.

O ano novo do Piauí Esporte Clube

Por pouco, mas pouco, a garotada do Piauí não passa o ano novo dentro do avião.

O time viaja para São Paulo em voo da Gol às 5h20min desta sexta-feira, 1º de janeiro de 2009.

No dia 3, o time estreia contra o Botafogo/RJ na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Nacional/SP e Desportiva/ES são os demais adversários no Grupo X da competição.

A virada de 2009 para 2010 será em um hotel no bairro Aeroporto, onde todos já estão concentrados.

Ronaldo Angelim em Oeiras

Estou devendo informações sobre o amistoso de ontem. E como estou.

Porém, como não fui a Oeiras, e todos estão em clima de ano novo, manter contato com alguém na Primeira Capital tem sido difícil.

O jogo deveria ter começado às 17h no estádio Gerson Campos. Mas esse foi o horário da chegada de Angelim em Oeiras. O jogador do Flamengo, campeão brasileiro de 2009, só entrou em campo com seus amigos às 19h.

Vitória do time de Angelim por 5 a 2 contra o time do atacante oeirense Marciano, ex-Coritiba. A Prefeitura estima que cinco mil pessoas participaram do jogo beneficente.

Assim que tiver mais informações, e fotos, a gente posta aqui.


Leitura Na Esportiva: O "Gilda" alvinegro

Só quero relembrar aos leitores para que não se acostumem mal: estou antecipando as datas dos nossos momentos culturais em função do feriadão excepcional. Cinema é sexta, Leitura no sábado, Papo no domingo. A ideia é ainda dar tempo para passar em uma livraria e aproveitar a dica.

Nunca houve um homem como Heleno
(Marcos Eduardo Neves, Ediouro, 2006/ 312 p., R$ 48,90)

Muitos não viram Garrincha jogar. Imagine então os ídolos anteriores a ele, ná chamada "década morta do futebol", pois nos anos 40 não foram realizadas Copa do Mundo.

Heleno de Freitas foi um desses injustiçados. Se nunca houve mulher como Gilda, nunca houve homem como ele. Jogador fenomenal, driblava os adversários assim como seduzia as mulheres, e se envolvia com elas assim como com o lança-perfume. A vida era uma festa, mas seu temperamento difícil e dupla personalidade o atrapalhavam. A descoberta de uma doença justificou seus rompantes de fúria, e o futuro glorioso virou tragédia.

Em sua pesquisa, Marcos Eduardo Neves nos mostra o ser humano, o Heleno que não pensava em gastar dinheiro e circulava com as mulheres mais belas da noite carioca. O odiável e adorável, que passou das festas para o hospício com menos de 40 anos de vida. Não se pode classificar tal obra como uma biografia. Tão impressionantes são os fatos que o livro é mesmo um drama, digno de um filme.

Enquanto torcemos para que o prometido trabalho do diretor José Henrique Fonseca, protagonizado por Rodrigo Santoro, chegue aos cinemas, a leitura é mais que válida: obrigatória.

River fica na "Série B" da Timemania

Lembra de quando postei aqui sobre o risco do River ter de dividir migalhas da Timemania com 40 clubes?

Caso não lembre, clique aqui e leia isso primeiro.

Lembra? Leu? Pois bem, a Caixa divulgou o ranking do último concurso da Timemania de 2009. O River continuou a frente do Paysandu/PA no número de apostas. Isso significa que ele ficará em 2010 no Grupo II, e dividirá 25% do faturamento total com outros 19 clubes. Como o Sport, que foi o 21º e não conseguiu entrar no grupo dos 20 mais apostados, onde a divisão é de 65% dos lucros (Leão pernambucano duplamente rebaixado em 2009).

O Paysandu terá de dividir 8% do faturamento com mais 40 times. Veja aqui o acumulado final de todas as apostas em 2009.



Tomara quem em 2010 o River se dê bem com esses recursos, que ainda são poucos. E os riverinos não podem parar de apostar achando que está tudo bem. É preciso se manter no mesmo nível no ano que vem.

Retrospectiva aquática: Dá-lhe Neném!

Um temporal de várias horas como este de hoje em Teresina me lembra muitas coisas...

Lembra todas as federações que não possuimos no Piauí: de Iatismo, de Remo, de Canoagem... Não que isso fosse ajudar a superar os problemas vividos hoje, mas por conta das piadas de prática desses esportes em algumas avenidas.

Recordo-me ainda das conquistas da nossa Natação, de Moema Sales, de Lauro Wilson Filho, da turma da União dos Servidores Municipais de Teresina...

Mas quando acordei com medo "dos pingo da chuva me molhar", lembrei logo do momento mais inusitado de 2009. O pênalti perdido pelo atacante Neném. Se ele marcasse, não ia adiantar muita coisa. No final de abril, o Flamengo venceu por 4 a 0.

Porém, o lance ficou na memória.



Neném é um dos nossos melhores atacantes. Ele ainda terá a chance de se redimir com grandes jogadas. Torço por isso.

Barras conversa com Aníbal Lemos

Elias Fontenele/Jornal O Dia


Sabe onde está o presidente do Barras, Paulo Afonso Silva, o Painha? Na praia! E eu aqui, de plantão, na Redação...

O ano novo da turma do Leão será em Barra Grande, litoral do Estado. Lá, o dirigente vai descansar em pensar em 2010.

Mas antes de 2009 acabar, Painha adiantou para o blog as últimas do ano no Leão.

Um time só se monta com treinador, e o Barras já começou a conversar com Aníbal Lemos, que defendeu o 4 de Julho, finalista dos dois turnos do Campeonato Piauiense 2009 e derrotado pelo Flamengo.

Sem Paulo Moroni, no América/RN, e Flávio Araújo, no Icasa/CE, últimos técnicos do Barras hoje em times que irão disputar a Série B do Brasileirão, a solução será mesmo caseira.

Também soube que a diretoria tentará contatar Flávio Mendonça, que já defendeu vários clubes do Estado, inclusive o próprio Leão.

O recesso do Barras só termina no dia 10 de janeiro, quando as contratações serão acertadas. A apresentação deve ocorrer no dia 20, quando o novo gramado do estádio Juca Fortes já deverá estar em condições para treinamento. O Estadual começa em 28 de fevereiro.

Cinema Na Esportiva: Boxe, música, e risos



Gosto de indicar os filmes na sexta-feira, mas com o feriadão chegando, vamos antecipar o Cinema Na Esportiva desta semana.

Quando Éramos Reis
(When We Were Kings; EUA, 1996, 89min)

O diretor Leon Gast conseguiu o Oscar em 1997 de melhor documentário ao resgatar os bastidores da histórica luta entre Muhammed Ali e George Foreman, valendo o título mundial, no Zaire, em 1974.

Como pano de fundo, um festival de artistas negros, um "black woodstock" que ocorria no país na mesma época, com shows de James Brown, Bill Whiters (um dos meus prediletos) e B.B. King, entre outros. Isso sem deixar de lado a ditadura de Mobuto, que com seu chapéu de leopardo mandou no país por mais de três décadas.

Entrevistas atuais, como as do cineasta Spike Lee, tentam complementar os diálogos registrados nos anos 70, em meio aos shows e cenas do cotidiano no Zaire, de trabalho, pobreza, e presença militar. Mas Ali é o dono do filme. Ele reina.

A personalidade forte do lutador que falava enquanto treinava é motivo de muitas gargalhadas. Adorado pelos africanos, ele golpeava Foreman com declarações sem qualquer modéstia e carregadas de ironia. Ao mesmo tempo, defendia e até criticava os negros, queria resolver os problemas do mundo. Portava-se como ídolo e fazia questão de dizer que realmente o era.

E o título do filme, 20 anos depois, diz tudo sobre a época vivida pelos boxeadores.



Procurei o trailer para vocês, mas só achei sem legendas (veja aqui)

Acredito que locadoras mais antigas com bom acervo possuam o filme em DVD. No Telecine Cult (canal fechado), o filme será exibido nos dias 14 e 16 de janeiro.

Posts anteriores