Cidadeverde.com

Luís Carlos Cardoso conquista 7 ouros no Pan e Sul-americano de Paracanoagem

Reprodução/Instagram

Atualizada às 9h05 - 10/07/19

O piauiense Luís Carlos Cardoso conquistou cinco medalhas de ouro no Pan-Americano de Paracanoagem, disputado em São Paulo (SP), no último fim de semana. 

Foram três medalhas no caiaque: 200 metros KL1 (44" 58), 500m KL1 (2' 25" 09) e na prova de revezamento, ao lado de Uilian Ferreira Mendes(KL2), Caio Ribeiro de Carvalho(KL3) e Igor Alex Tofalini(VL2). 

Na canoa, Luís Carlos Cardoso também foi campeão nos 200m VL2 (54" 95) e 500m VL2 (2' 33" 22). 

As provas de 200m e 500m KL1 valeram também pelo Sul-Americano de Paracanoagem. Com isso, Luís Carlos conquistou outras duas medalhas de ouro no fim de semana, somando 7 pódios. 

"É irreversível": Fluminense confirma saída da Série B e não crê em punição

O presidente do Fluminense, João Vicente Claudino, confirmou a desistência de participar da Série B do Campeonato Piauiense. A entrevista foi concedida a Herbert Henrique e veiculada na TV Cidade Verde na manhã desta terça-feira (9). 

Reprodução/TV Cidade Verde

- Tá fora. É irreversível, não tem mais o que discutir. Esse assunto nós não tratamos mais. Nós estamos tratando agora da continuação das categorias de base com força total. 

A principal alegação para o abandono da competição é o formato de disputa. O Fluminense pretendia jogar o torneio em turno e returno. Em reunião na semana passada, foi aprovado pelos clubes que a Série B terá turno único, com os times se enfrentando apenas uma vez antes das semifinais - contrário ao formato, o Flu foi voto vencido. 

Na entrevista, João Vicente Claudino ainda avaliou que "no caso do sistema de disputa, que eu acho que não é tema nem para ser levado para arbitral". No entanto, é assim que ocorre em todas as competições - inclusive de base. Disse ainda que houve empate em 3 a 3 na votação, e o desempate teria sido feito pela própria FFP - a reunião que definiu o regulamento do torneio foi comandada pelo presidente da federação, Robert Brown. 

Ao questionar o formato, João Vicente Claudino disse que a última edição da Série B ocorreu em jogos de ida e volta. O presidente do Flu acrescentou que pretendia repatriar jogadores com salários elevados e contratos de cinco meses, dando tratamento de Série A ao torneio. 

Mas as queixas não se restringiram a isso. 

- Não é só a questão de turno e returno. É questão de organização. É você lançar uma tabela sem ter laudos técnicos, sem ter dentro dos horários a vistoria para que aquele jogo possa acontecer naquele horário. 

O prazo dado pela FFP para apresentação dos laudos dos estádios vai até agosto. O torneio começa no dia 6 de setembro. Em entrevista para a Rádio Cidade Verde, Robert Brown já havia informado que os clubes sem laudos teriam de buscar outro estádio para jogar. 

O ex-senador e presidente do Fluminense também disse não temer ser punido pela desistência, ainda que isso esteja previsto no regulamento geral de competições. 

- Não entendo nem como. Nós não somos obrigados a disputar a segunda divisão. Nós temos clube no futebol profissional que está na primeira divisão que não participa de nenhuma categoria de base e nunca foi punido. Nós temos clube que só faz categoria de base, nunca colocou no profissional e nunca foi punido. Eu não vi em artigo aonde diga isso. Mas, se isso ocorrer, nós vamos defender com unhas e dentes. Vamos até as últimas instâncias em defesa do Fluminense.

O artigo 57 do regulamento geral diz que "Se uma equipe abandonar uma competição ficará automaticamente suspensa durante dois (2) anos de qualquer outra competição coordenada pela FFP. A penalidade administrativa poderá ser substituída pelo pagamento de multa no valor de R$ 30.000,00, dos quais um quinto do valor será revertido para instituições de caridade em cestas básicas."

A FFP ainda não se manifestou sobre a decisão do Fluminense. Sem o tricolor, a Série B deverá contar com apenas cinco equipes e a tabela terá de ser revista. 

Veja a entrevista que foi ao ar na TV Cidade Verde:

Fluminense apresenta pedido de desistência do Campeonato Piauiense Série B

Foto: Victor Costa/River A.C.

O Fluminense apresentou pedido de desistência da Série B do Campeonato Piauiense 2019. A informação foi confirmada ao Cidadeverde.com pelo clube e também pela Federação de Futebol do Piauí (FFP) nesta segunda-feira (8). No entanto, ninguém quis gravar entrevista.

Vicente Medeiros, diretor de futebol do Fluminense, confirmou a informação, mas disse que quem irá tratar do assunto com a imprensa é o ex-senador João Vicente Claudino, em entrevista a ser concedida nesta terça-feira (9). 

A insatisfação do Fluminense para motivar a desistência tem relação com o formato escolhido para a competição. Só haverá um turno de jogos, enquanto o tricolor queria partidas de ida e volta. 

Como cada time fará apenas cinco partidas, foi realizado um sorteio para definir quem faria três confrontos em casa - o Flu fará apenas dois. 

Daniel Araújo, superintendente da FFP, confirmou que o documento foi entregue pelo Fluminense ainda na sexta-feira (5), mas a entidade só irá se posicionar após a manifestação pública do clube, prevista para esta terça-feira, quando o presidente da Federação, Robert Brown, terá retornado de viagem. 

Caso a desistência do Fluminense não seja revertida, a Série B terá cinco clubes e o sorteio para definir quem terá mais jogos como mandante perderá sentido - o que forçará uma revisão na tabela da competição. 

Há ainda a promessa de dois clubes recorrerem para ter o pedido de inscrição aceito: Oeiras e Caiçara - que teve sua diretoria suspensa temporariamente, na semana passada, por decisão do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PI), em razão de mudança no estatuto do clube feita em 2017. 

Bronze no Canadá faz Sarah Menezes subir 12 posições no ranking mundial

Foto: Di Feliciantonio Emanuele

A medalha de bronze no Grand Prix de Judô de Montreal, no Canadá, na última sexta-feira (5), fez Sarah Menezes subir 12 posições no ranking mundial da categoria meio-leve (-52kg). 

A lista foi atualizada nesta segunda-feira (8) e coloca Sarah Menezes na 40ª posição, com 1.082 pontos. 

Na concorrência com as brasileiras na categoria, a piauiense ainda aparece atrás de Larissa Pimenta, 18ª (2.320 pontos) e Eleudis Valentim, 25ª da lista (1.865) - Érica Miranda (14ª - 2.833) se aposentou dos tatames, e Jéssica Pereira (17ª - 2.515) foi suspensa por doping. 

Para classificação nos Jogos Olímpicos de Tóquio, a Federação Internacional de Judô faz uma outra versão do ranking, com os pontos obtidos somente a partir de maio de 2018. 

Nessa lista, Sarah Menezes já aparece mais próxima do grupo de atletas qualificadas - é a 25ª com 656 pontos, duas posições atrás de Eleudes Valentim (23ª - 715 pontos). Larissa Pimenta hoje é a 16ª (1.160) e estaria classificada para Tóquio 2020. 

O período para obter pontos para os Jogos Olímpicos termina em 25 de maio de 2020. 

Daniel Zóia e Karine Frota são bicampeões do Picos Pro Race

  • ppr-podio-4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • ppr-podio-3.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • ppr-podio-2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • ppr-podio-1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • bike.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • bike1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • bike2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • bike3.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • bike4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • bike5.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-25.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-24.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-23.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-22.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-21.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-20.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-19.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-18.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-17.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-16.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-15.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-14.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-13.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-12.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-11.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-10.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-9.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-8.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-7.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-6.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-5.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-3.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • picos-pro-race-2019-1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com

Atualizada às 23h18

Entre as subidas e descidas mais íngrimes possíveis, o Picos Pro Race encerrou sua sétima edição, neste domingo (7), repetindo dois campeões de anos anteriores. A piauiense Karine Frota sagrou-se bicampeã consecutiva da categoria Elite. E o mineiro Daniel Zóia agora é bicampeão entre os principais atletas da maior prova de moutain bike do Piauí - ele já havia erguido o troféu em 2017. 

Quase 400 ciclistas de vários estados vieram a Picos participar da prova, que contou com 94 quilômetros de trilhas entre os municípios de Picos, Santana do Piauí e São José do Piauí - atletas que competiram fora das categorias profissionais tiveram percurso menor. 

A prova largou do Piauí Shopping por volta de 7h30, com céu nublado. Apesar de a previsão do tempo apontar chance mínima de chuva em Picos para este domingo, choveu. E o já esperado calor do Picos Pro Race foi substituído por uma temperatura mais amena nas duas primeiras hora de disputa. Mais tarde, o tempo abafou. 

Tudo que sobe...
Se São Pedro ajudou, a organização da prova "judiou" dos atletas - como eles mesmos já esperavam. Logo nos primeiros quilômetros, um longo trecho de subida íngrime em Santana do Piauí fez os competidores sentirem que o percurso de 2019 seria mais difícil que nos anos anteriores - na noite anterior à largada, todos foram informados que teriam seis trechos de subida pela frente.

Em ritmo forte, o pelotão de elite passou rápido pelo primeiro desafio, mas nem mesmo o campeão Daniel Zóia deixou de empurrar sua bicicleta nessa parte do percurso - por poucos metros, mas empurrou. E quem parou no alto da serra por ver a neblina que cobria Santana do Piauí nas primeiras horas do dia. 

... tem que descer
Em São José do Piauí, formações rochosas que lembram as existentes no parque nacional Sete Cidades, no Norte do estado, aguardavam os ciclistas em uma longa descida. Poucos tiveram coragem para passar pedalando pelo trecho de lajeiro, escorregadio e que exigia cautela máxima dos competidores. 

Ao final, a recompensa vinha em forma de água e energéticos, além da satisfação de ter completado mais uma etapa da prova - e nesse ponto, a categoria elite ainda não havia chegado a metade do percurso. 

Também existiam vários trechos técnicos, que exigiam atenção dos ciclistas - alguns sofreram quedas e outros tiveram os pneus furados ao se descuidarem nas trilhas mais acidentadas. 

Os melhores
Daniel Zóia conquistou o tricampeonato em 3h42m07. Karine Frota foi bicampeã após cruzar a linha de chegada em 4h54m. 

A prova ainda contou com atletas em categorias divididas por faixa etária e também duplas, a "pesadão" - para quem está um pouco acima do peso ideal, e uma disputa exclusiva para crianças, realizada no sábado.

Veja os resultados completos do Picos Pro Race 2019

Os melhores deste ano levaram para casa uma lembrança diferente: uma parte do percurso. O troféu tem pedras coletadas nas trilhas da prova de 2019. 

Para 2020, a organização do Picos Pro Race pretende ampliar a disputa para dois dias de aventura.

*O blog viajou a convite da organização do Picos Pro Race

Natação: Joabe Carvalho conquista três medalhas no Interfederativo Norte-Nordeste

Atualizada às 23h34

O nadador Joabe Carvalho conquistou três medalhas no Torneio Interfederativo Norte-Nordeste de Natação (Troféu Milton Medeiros), disputado em Belém (PA), neste fim de semana. 

Na categoria Juvenil, o atleta do Piauí levou ouro nos 100 metros nado peito (01:12.46) e bronze nos 200m peito (02:43.96) - por muito pouco, Joabe ficou atrás de André Chianca Brito, do Amazonas, que levou a medalha de prata (02:43.86). 

O piauiense ainda disputou os 100 e 200 metros nado costas, mas terminou na oitava posição (00:32.48) e quinto lugar, respecitvamente.

Neste sábado, Joabe Carvalho conquistou mais uma medalha de bronze, dessa vez nos 50 metros nado peito (00:32:50).  

Os resultados em Belém confirmam a boa fase de Joabe Carvalho, que no último fim de semana quebrou os recordes estaduais dos 50m e 100m peito, no Campeonato Teresinense

Em junho, com a equipe do revezamento 4x100m medley, o nadador da AquaticaTri foi bronze na Copa Pacífico, no Peru.

Sarah Menezes conquista bronze no Canadá e volta ao pódio em Grand Prix após 15 meses

  • montreal-sarah-judo-6.jpg (c) Di Feliciantonio Emanuele
  • montreal-sarah-judo-5.jpg (c) Di Feliciantonio Emanuele
  • montreal-sarah-judo-4.jpg (c) Di Feliciantonio Emanuele
  • montreal-sarah-judo-3.jpg (c) Di Feliciantonio Emanuele
  • montreal-sarah-judo-2.jpg (c) Di Feliciantonio Emanuele
  • montreal-sarah-judo-1.jpg (c) Di Feliciantonio Emanuele

Atualizada às 23h58

A judoca Sarah Menezes conquistou a medalha de bronze no Grand Prix de Montreal, no Canadá. A competição teve início nesta sexta-feira (5) e termina no próximo domingo (7).

O resultado rendeu para Sarah Menezes 350 pontos no ranking mundial - se tivesse terminado em quinto lugar, levaria 252 pontos. A pontuação vai ajudar a atleta na busca pela vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, na categoria meio-leve (-52kg). 

Na luta que valia a medalha de bronze, Sarah Menezes enfrentou a turca Irem Korkmaz e conseguiu um waza-ari na primeira metade do confronto. O golpe foi suficiente para garantir a vitória. 

O bronze é o retorno de Sarah Menezes ao pódio em uma competição de nível mundial após 15 meses - a última vez foi em abril de 2018, com o bronze no Grand Prix de Antalya, ainda na categoria ligeiro (-48kg). 

A última medalha internacional da judoca, no entanto, havia sido o bronze no Pan-Americano de Judô em Lima, no Peru, em abril deste ano, depois da mudança para a categoria meio-leve. 

Outras lutas
Na estreia, Sarah Menezes dominou a luta contra a norte-americana Alaine Abuan. A piauiense vencia com um waza-ari e ainda conseguiu um Ippon por estrangulamento no fim da luta.

Mas na sequência, nas quartas de final, a piauiense foi superada pela israelense Gefen Primo, que venceu por Ippon após imobilizar Sarah Menezes. 

A brasileira voltou ao tatame na repescagem e derrotou a canadense Ecaterina Guica. Sarah já vencia por um waza-ari e conseguiu um Ippon faltando um minuto para o fim do confronto. 

Na mesma luta, Sarah Menezes sofreu uma tentativa frustrada de imobilização por parte da atleta canadense, mas demonstrou sentir dores no braço esquerdo na sequência do confronto. 

Em casa, GHC busca vaga nas finais do Brasileiro Juvenil de Handebol

Foto: CBDE

Começa nesta sexta-feira (5), em Teresina (PI), a fase zonal do Campeonato Brasileiro Juvenil de Handebol Masculino. Três equipes do Piauí, Maranhão e Ceará disputam uma vaga na fase final, que acontecerá em Maringá (PR). 

O Giuliano Handebol Clube (GHC) é o representante do Piauí e estreia nesta sexta, às 19h, contra o LPHB/Pentecoste (CE), na quadra do próprio GHC - bairro Gurupi, zona Sudeste da capital. 

O técnico Giuliano Ramos prevê jogos difíceis, apesar do favoritismo da equipe piauiense. 

- Temos dois grandes estados, dois grandes rivais. Vão ser jogos acirrados e o Piauí, por sua tradição, é favorito. Mas nós temos que colocar os pés no chão para não poder errar e novamente conseguir a nossa vaga para a grande final. 

No sábado, o Pentecoste enfrenta o Barbosa de Godóis (MA), às 16h. No domingo, o GHC encara a equipe maranhense, às 10h. 

Treinado pelo pai, goleiro pega 2 pênaltis e se destaca na Copa Cidade Verde Sub-13

Foto: Fábio Lima/Cidadeverde.com

Decisão nos pênaltis é sempre um momento tenso no futebol. E pode ficar ainda mais nervoso em uma competição de base, com garotos em busca de realizar o sonho de ser um jogador profissional no futuro. 

Ontem (4), nas oitavas de final da Copa Cidade Verde Sub-13, dois goleiros tiveram a chance de se tornarem heróis de seus times, mas só um poderia levar a melhor. E o vencedor no confronto entre Park Real e Fluminense herdou do pai o sonho de vestir a camisa 1. 

Juniel Vitor, do Fluminense, viu uma cobrança acertar a trave e depois defendeu outras duas do Park Real - a última delas cobrada pelo goleiro do time adversário, João Neto, que também defendeu uma penalidade logo no início da série. O Flu venceu por 3 a 1 e se classificou para as quartas de final. 

Enquanto o goleiro do Flu demonstrava frieza e tranquilidade, o treinador de goleiros controlada a ansiedade no banco de reservas. Juniel Chaves é pai de Juniel Vitor, e lembrou quando era um jovem goleiro, tal qual o filho. 

- Eu acho que fiquei mais nervoso que ele. É fruto de trabalho. Há muito tempo venho treinando ele, é meu orgulho. Se eu não consegui chegar a ser um jogador profissional - cheguei até o sub-20 - espero que ele realize o sonho que eu não pude ter. 

Orgulhoso, o Juniel pai via o Juniel filho ser abraçado pelos colegas e conceder entrevistas após o feito.

- Quero agradecer aos meus treinadores. O meu pai, treinador de goleiros. Quando eu tinha 9 anos, eu já treinava no Sub-17. 

O Fluminense vai enfrentar a escolinha do Boca Juniors nas quartas de final. Os jogos desta fase da Copa Cidade Verde serão disputados na segunda (8) e terça-feira (9). 

Sarah Menezes enfrenta norte-americana no Grand Prix do Canadá

Foto: CBJ

Sarah Menezes e os colegas de seleção brasileira no primeiro treino em Montreal

Em busca de pontos no ranking mundial, que classifica para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, a judoca Sarah Menezes volta a competir no Grand Prix de Montreal, no Canadá. 

As lutas começam nesta sexta-feira (5), às 12h30 da manhã (horário de Brasília). As disputas por medalhas acontecem a partir de 18h. 

Na estreia, Sarah Menezes irá enfrentar a norte-americana Alaine Abuan, pela categoria meio-leve (-52kg). Se a brasileira vencer, terá pela frente a israelense Gefen Primo, que folga na primeira rodada. 

O ouro no Grand Prix vale 700 pontos, a prata 490 e o bronze 350. 

Além de Sarah Menezes, irão lutar nesta sexta-feira Eric Takabatake (60kg), Felipe Kitadai (60kg), Michael Marcelino (66kg) e Gabriela Chibana (48kg). O torneio termina no domingo. 

Posts anteriores