Cidadeverde.com

Judô: Resultados finais da seletiva Sub-20

Iniciadas pela manhã, foram encerradas pouco antes de 21h as lutas da seletiva para o Sul-Americano Sub-20 , disputada em Natal/RN neste sábado (6). Dois piauienses garantiram vaga na seleção brasileira que vai para a Argentina. Mas o plantão continua: ainda acontecem as lutas da categoria Sub-17...

- Estou falando com você e tomando um suco. É a primeira coisa que estou colocando na boca para me alimentar aqui... - confessou Abdias Queiroz Filho, um dos três técnicos da seleção de quase 40 judocas piauienses em terras potiguares.

Francinaldo Segundo (acima de 100kg) garantiu vaga na sua categoria, assim como Stanley Torres (até 66kg), que venceu a luta contra o também piauiense Joesley Brito nos últimos segundos. Caso Stanley tenha algum problema e não possa viajar, Joesley é o reserva imediato.

Ainda no Sub-20, Marília Ramos (até 52kg) venceu sua primeira luta na final, mas foi superada e acabou com o segundo lugar, pelo segundo ano consecutivo. Na reserva também ficou Antônio Fabrício Alves (até 55kg), que ganhou a primeira de Sérgio Júnior, do Distrito Federal, mas perdeu as duas seguintes. Ninguém conseguiu consolar o representante do Brasil no Mundial Sub-17 do ano passado,  agora aos prantos.

Pedro Martins Neto (até 100kg) também ficou com a reserva. Flávio Moreno (até 60kg) chegou nas finais, mas foi eliminado.

No Sub-17, já há uma baixa. Rodrigo Lopes (até 50Kg) perdeu logo no começo e está fora da disputa. A principal esperança agora é João Batista Romeiro (até 73kg). As lutas só devem acabar após 23h.

Judô: Francinaldo classificado em Natal/RN

Chegam as primeiras boas notícias de Natal/RN, da turma que foi em caravana buscar vagas para o Sul-Americano Sub-17 e Sub-20, que será na Argentina.

No Sub-20, Francinaldo Segundo (acima de 100kg) foi o classificado em sua categoria. Na até 66kg, a final será piauiense entre Stanley Torres e Joesley Brito. Só um deles poderá integrar a seleção brasileira.

Marília Ramos (até 52kg) perdeu uma de suas lutas, mas ainda tem chances de ficar com a vaga.

Aguardem novidades ao longo desta tarde.

Leitura Na Esportiva: Redenção aos injustiçados

Goleiros - Heróis e Anti-Heróis da Camisa 1
(Paulo Guilherme, Alameda Editorial, 2006, 320p., R$ 48)

Goleiro não faz mais do que sua obrigação? O futebol vive do gol, e seu herói é quem o marca. Seu anti-herói é justamente quem o leva. Entre a glória de um pênalti e a decepção de um frango, Paulo Guilherme conta histórias que ficariam esquecidas pela importância menor que o brasileiro dá a mais um que faz o jogo ser 11 contra 11.

Quase 300 goleiros são mencionados, em histórias, engraçadas, tristes, e de amor ao extremo, como do goleiro Castilho, do Fluminense. Enfermo, e sem condições de entrar em campo, ele amputou um dedo para poder jogar.

Citar Barbosa, vice-campeão mundial de 1950, também seria inevitável. O jogador que continuou sendo convocado para a seleção depois de ser culpado pela perda do título no Maracanã, e só não disputou a Copa de 1954 porque quebrou a perna. Sabia disso?

O passeio não é só histórico, e conta também com entrevistas de ídolos recentes. E o livro vai além dos ídolos dos campos. Che Guevara, Julio Iglesias e o até Papa João Paulo II foram goleiros. Cada um em momentos distintos, é claro, mas com histórias que nos fazem repensar o papel de coletividade, que os jogadores possuem em seus times, mas a torcida normalmente não sabe valorizar.

Judô: Grand Slam de Paris - fim do 1º dia

Eu avisei que Tomoko Fukumi ia perder na semifinal, eu avisei! Só errei mesmo sobre a Sarah, que acabou não fazendo a final com a japonesa Yamagishi, a campeã do torneio, e candidata a nova líder do ranking mundial. A chave completa está aqui.

No feminino, das quatro categorias disputadas hoje, só uma não teve vitória de japonesas. No masculino, em três categorias, dois ouros da Coréia do Sul e um da Geórgia, que muita gente questionava resultados futuros com as novas regras do Judô.

O torneio termina amanhã. Depois, Sarah Menezes e as colegas de seleção irão treinar com franceses e ingleses. Os próximos torneios serão a Copa do Mundo de Budapeste, Hungria, nos dias 13 e 14, e o Grand Prix de Dusseldorf, Alemanha, nos dias 20 e 21.

Judô: Grand Slam de Paris - Sarah eliminada

Sarah Menezes perdeu nas quartas-de-final para a sul-coreana Jung-Yeon Chung, quarta do ranking mundial, em luta no Grand Slam de Paris neste sábado. Com isso, a piauiense termina o torneio em quinto lugar.

A judoca piauiense perdeu por um Yuko e um Waza-ari, pontuação que corresponde a metade de um Ippon. Sarah não pontuou. Ela já havia sido derrotada pela coreana na disputa pelo bronze do Mundial Sênior de 2009, na Holanda.

O primeiro dia do primeiro Grand Slam do ano continua na França, com as semifinais e finais disputadas a partir de 12h (horário de Teresina). Nenhum brasileiro continua na disputa. Na categoria até 52kg, Érica Miranda também foi derrotada nas quartas-de-final e ficou em quinto lugar.

Judô: Grand Slam de Paris - 1ª Parcial

Sarah Menezes (até 48kg) estreou agora contra a francesa Laetitia Payet e venceu com um Yuko. Sua adversária nas quartas-de-final será a sul-coreana Jung-Yeon Chung, que derrotou a judoca na disputa de bronze do Mundial Sênior, disputado no ano passado na Holanda. Sarah é hoje a oitava do ranking. Jung, a quarta.

Além de Sarah, só Érica Miranda (até 52kg) continua na disputa pelo Brasil neste primeiro dia de competições. Ela derrotou a holandesa Kitty Bravik por Ippon, e encara na próxima fase a japonesa Misato Nakamura.

Daniela Polzin (até 48kg), que foi derrotada por Jung Chung, Andressa Fernandes (até 52kg), Ketelyn Quadros (até 57kg), Mariana Silva (até 63kg), Ricardo Ayres e Breno Alves (até 60kg), Alex Pombo (até 66kg), e Marcelo Contini (até 73kg) já estão eliminados, sem direito a repescagem.

As lutas começaram por volta de 6h da manhã. As finais estão previstas para 12h, no horário de Teresina.

Mais detalhes, acompanhe no Twitter aqui do lado, com os resultados em tempo real.

Jogador deixa time em Piripiri e é contratado pelo futsal de Santa Catarina

O J. Frios, de Piripiri, e o Atalanta, de Batalha, decidem neste domingo o título da regional de Piripiri da Copa Norte de Futsal. Mas o J. Frios teve um desfalque importante: Joney Herbert, que ajudou o time a marcar 27 gols em apenas três partidas.

Joney deixou o time amador do norte do Piauí para jogar no Ibirama, clube de Santa Catarina, onde estão os principais jogadores brasileiros. Natural de Paracuru/CE, o jogador defendeu times de Tianguá e Fortaleza, até parar em Piripiri e ser chamado pelos catarinenses.

- Foi uma surpresa, ninguém esperava esse convite. Ele viajou na quinta-feira e se despediu da gente no domingo, marcando dois gols na semifinal -, disse o empresário Jean Azevedo, que mantém o time.

Mesmo não sendo piauiense, uma contratação dessas, saíndo daqui, não é comum. Boa sorte ao Joney Herbert.

Domingo de decisão no futsal em Piripiri

Domingo é dia de festa no futsal de Piripiri, a partir de 8h30 na quadra do Sesc Ler. J. Frios e Atalanta, de Batalha, disputam o título da regional de Piripiri da Copa Norte, a vaga na próxima fase, e o troféu 100 anos de Piripiri.

O J. Frios venceu a semifinal contra o Bahenas na semana passada por 6 a 2. Já o Atalanta bateu por 9 a 6 o Ytacoatiara. Na final, não há vantagem: empate, prorrogação, e pênaltis.

O campeão da regional de Piripiri encara o melhor da regional de Buriti dos Lopes: Arsenal, de Esperantina, ou Young Club, de Parnaíba, que se enfrentam no dia 20. O torneio ainda tem as regionais de Esperantina e Joaquim Pires.

Torcida contra na estreia de Sarah em Paris

Fábio Lima/Cidadeverde.com


Finalmente, as chaves do Grand Slam de Paris 2010 estão aqui (arquivo PDF)!

Sarah Menezes só luta na segunda rodada, contra a francesa Laëtitia Payet, quinta colocada no Grand Slam do ano passado, assim como a piauiense.

Em 2008, Payet venceu outra brasileira, Daniela Polzin, que caiu na mesma chave de Sarah Menezes. Ela aguarda a campeã do confronto entre Lolita Dagher, da Líbia, e Jung-Yeon Chung, da Coreia do Sul,

Chung é a mesma coreana que derrotou Sarah na disputa pelo bronze, no Mundial Sênior de 2009, na Holanda.

E vamos para as apostas:

Chave A - Tomoko Fukumi, do Japão. É só a campeã mundial.
Chave B - Emi Yamagishi, do Japão. Apesar dessa ser a chave mais difícil, pois também tem a húngara Eva Csernoviczki, que venceu Sarah Menezes na estreia dos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008.
Chave C - Frederique Jossinet, da França. E passa fácil.
Chave D - Sarah ou Chung? Vai ser luta boa, vamos de... Sarah (achou que eu ia apostar em quem?).

Semifinal, Fukumi contra Yamagishi, dá Yamagishi, para fazer a final com a Sarah, que passa pela francesa que eu pensei que tinha era se aposentado. Está com 34 anos.

Agora é torcer. E nem precisa acordar muito cedo. As lutas começam às 6h no nosso horário, mas Sarah só deve competir a partir de 7h.

Cinema Na Esportiva: Uma história de futebol com cara de Cidade de Deus



Show de Bola

(Brasil-Alemanha, 2008, 101min)

O roteiro é sobre a história de um menino pobre, bom de bola, que sonha em ser jogador de futebol para poder mudar de vida. O título é manjado, e não traduz o que o filme representa. Produção nacional, Show de Bola é mais do que aparenta.

Protagonizado por Thiago Martins, o filme pega carona no sucesso de Cidade de Deus, Carandiru, e outros do gênero "verdade nua e crua da violência brasileira". O mocinho é Tiago, garoto bom de bola que vive em uma favela do Rio de Janeiro, e se vê em um dilema: será preciso entrar no mundo do crime para ser um craque dos gramados?

Tiago fez suas escolhas e terá de conviver com as consequências delas. É a partir daí que o filme ganha tom mais realista e menos ufanista do sonho de viver da bola. Para mostrar que nem tudo são flores, o diretor Alexander Pickl não economizou em cenas fortes. O vilão Tubarão, vivido por Lui Mendes, comanda a incineração de um homem amarrado em pneus, por exemplo.



Romance, picuinha, vingança, misticismo... A história traz tantos elementos como a própria nação brasileira. Por isso, as vezes faz o filme dar voltas até reencontrar o eixo da história. Mas se acha em um final, que retrata o futuro incerto de quem nasce condenado a não ter opções na vida.


Posts anteriores