Cidadeverde.com

O despertar do Taekwondo do Piauí

A lembrança que tenho, de 2004 ou 2005, é de John Correia indo para o Campeonato Brasileiro de Taekwondo sozinho. Liguei dias depois para saber do resultado: ele teve de abandonar a primeira luta por uma lesão grave no joelho. De lá para cá, não lembro mais nada de notícias do esporte no Estado.

Eu estava em Maringá nas Olimpíadas Escolares deste ano. Por sinal, na terra de Natália Falavigna, campeã mundial que John Correia teve a iniciativa de trazer para Teresina nesta semana. Lá eu recebi a notícia de que o Taekwondo será inserido na competição escolar a partir de 2010. Pensei: preciso procurar o John para fazer matéria. E não demorou muito para ele aprontar uma.

Hoje, durante a palestra da Natália, muito se falou no "sono" que viveu o Taekwondo do Piauí. A vinda da medalhista olímpica teve como principal meta despertar a modalidade, e dar novo ânimo a professores para que se volte a formar atletas. Foi exatamente o que aconteceu. Mas a intenção não é colher frutos agora.

"Queremos conseguir fazer com que os professores vejam que o Taekwondo tem uma outra direção, de formar o cidadão. Com os Jogos Escolares, eles terão que se adaptar para ensinar o esporte para as crianças e jovens. Não estamos pensando em formar equipes para ir já ano que vem ao Campeonato Brasileiro. O trabalho é de longo prazo. Vamos resgatar uma história que ficou esquecida", declarou John Correia.

A palestra de Natália Falavigna emocionou, entre vários, duas figuras importantes do esporte presentes no local. O empresário Eugênio Fortes e sua esposa Lícia. Ele foi lembrado por John Correia como o responsável por trazer o Taekwondo para o Piauí em 1981, e disse que os educadores da área no Piauí estavam desanimados.

"A Natália está mostrando o quanto o Taekwondo é eficiente na formação do homem. É preciso que o esporte abranja a formação do indivíduo como um todo. Isso empolga os professores, e até me estimula a criar novas turmas também", disse o proprietário de várias academias pela cidade.

Todos saíram confiantes. O sono acabou.

Frases: Natália Falavigna

Palestra e entrevistas em Teresina na manhã deste sábado com a campeã mundial de taekwondo.



Vícios brasileiros
"Algumas pessoas treinam errado. Às vezes o professor passa tanto a mão na cabeça do aluno que ele cai para ganhar um tempo, finge que se machucou. A gente usa muito melindre para ganhar".

Educação precária
"A nossa escola é muito ruim. Quando a nossa escola for melhor, e também oportunizar para as crianças algo além de futebol... Ela deveria oportunizar aos alunos conhecer outras coisas. Quando a gente melhorar a nossa escola, a gente vai melhorar o país inteiro".

Cidadão antes do atleta
"Antes da formação do atleta, a formação do cidadão é mais importante. A formação do caráter, principalmente na arte marcial, é primordial para que ele se torne um grande atleta".



Natália Exemplo
"Hoje as pessoas falam mais de taekwondo, e eu posso mostrar (o esporte). Minha história profissional pode se tornar um pouco de referência. Eu também saí sem ter uma referência para me espelhar e me espelhei em atletas de outras modalidades. O que eu procuro fazer é não que elas (crianças) sigam a carreira da Natália, mas que elas se tornem elas mesmas e olhem a Natália como ponte de referência, de alguém que conseguiu algumas coisas"

O Taekwondo pós Natália
"A Natália vem para fortalecer um pouco mais a modalidade. Por enquanto, eu sei que a minha contribuição é ganhando títulos. Eu acho que trabalhando com uma reforma administrativa, o Taekwondo tem como se tornar um esporte com vários atletas competitivos internacionalmente. Precisamos de uma estrutura técnica um pouco melhor, acho nem que seja uma questão financeira"

Palestrante e professora
"Tem coisas que eu gosto de fazer, não sei como será meu futuro, eu ainda quero ser atleta. Mas a academia sempre foi um sonho. O que eu tive como formação eu queria passar para outras crianças. Acho que o Taekwondo estará bastante dissemidado. Principalmente se trabalharmos para eles serem cidadãos competentes e com moral"

Flamengo/PI e Palmeiras? Picos e Ceará? Que coisa...

A Copa do Brasil tem servido para duas coisas ao futebol piauiense:

1 - Ganhar uma grana com renda de jogos e direitos de transmissão;
2 - Gastar dinheiro para tentar se classificar para enfrentar um time grande, e atingir a primeira opção.

Claro que futebol se decide no campo, que são 11 contra 11, mas vamos ser claros: nos dois jogos, classificação piauiense seria zebra. São dois times de Série A no caminho do futebol do Piauí.

E a tabela foi pior para Picos, que não vai encarar o mesmo Ceará quase eliminado em 2007 pelo Barras. Caso avance, deve encarar Juventude/RS. Só depois, enfrentaria o Vasco.

E o Flamengo pode até ter boa parte da torcida a seu favor, como na derrota para o Corinthians por 8 a 1 em 2001. Vamos lá, com todo o respeito, a torcida do Palmeiras precisa trazer muitas excursões de outros estados para por mais de 20 mil no Albertão. Em todo o caso, não é jogo para o rubro-negro encher o bolso, como seria em caso de Vasco.

Vamos mesmo torcer e ver grandes jogadores do nosso futebol. É o que cabe aos torcedores. A Copa do Brasil virá cheia de candidatos a azarões, como em todos os anos. Quem sabe, não são eles o campeão e o vice-campeão piauiense.

Observem as chaves e discordem, se eu estiver errado. Mas Vasco, Goiás (ou Náutico), Botafogo, e Palmeiras, se tiverem times razoáveis para o início de temporada, facilmente estarão nas quartas-de-final. O mesmo vale para Fluminense, Grêmio, Santos, e Atlético/MG do outro lado da chave.

Veja a tabela e o diagrama de fases!

Natália Falavigna chega hoje (11) a Teresina

Campeã mundial de Taekwondo em 2005, terceira colocada em 2009, e bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim, Natália Falavigna chega a Teresina na noite desta sexta-feira (11). Ela participará de eventos da Federação Piauiense de Taekwondo no fim de semana.



Falei agora com o presidente da entidade, John Correia, que aposta na vinda da lutadora para alavancar a modalidade no Estado. Ele revelou que mais de 40 atletas já foram inscritos nas aulas práticas marcadas para a tarde de amanhã, e vem gente até do Maranhão.

Para a palestra de 8h30, no auditório da Facid, qualquer pessoa pode participar. As inscrições podem ser feitas no local, até na hora do evento, e custam R$ 40.

Natália Falavigna disputa com Poliana Okimoto, das Maratonas Aquáticas, e a piauiense Sarah Menezes o título de melhor atleta brasileira de 2009. E só isso. Todas são grandes atletas, e não há concorrência nessa visita. Devemos sim é receber com festa um dos maiores nomes do esporte mundial.

Programação do evento
Sábado - 12/12
Auditório da Facid
8h30min - Palestra sobre esporte olímpico

Ginásio da Facid
16h - Aula prática com faixas coloridas (crianças).
18h - Aula prática com faixa colorida e preta(adulto).

Domingo - 13/12
Ginásio da Facid
8h30min - Aula prática com faixa preta.

Informações: (86) 8882 3060 - John Correia


Camisas do Fla acabaram em Teresina antes da final; Saiba quando chega

Não é brincadeira, está faltando camisa do Flamengo em Teresina. Certo, isso já era esperado. Mas elas esgotaram antes mesmo do título de 2009.

Você, torcedor desesperado, que não sabe mais o que fazer e já usou o 13º salário para comprar até réplica, calma. Fiz um levantamento sobre as camisas oficiais para você.

Telefonei para duas lojas de artigos esportivos dos shoppings da cidade, e ambas confirmaram que todo o estoque acabou antes mesmo do jogo entre Flamengo e Grêmio. A previsão de chegada de novas camisas é até o dia 20, apesar do temor de que, em função da demanda nacional, o pessoal não dê conta e tudo acabe atrasando.

A venda normalmente é a maior das lojas da capital, mas chegou a dobrar, e até mesmo a triplicar dias antes da última rodada do Brasileirão.

Também deve chegar na mesma data em Teresina a camisa especial de comemoração, branca com a frase "Hexa na raça". A presidenta eleita Patrícia Amorim já serviu de modelo no último fim de semana, quando acompanhou o rubro-negro na conquista do título carioca no basquete masculino.

Maurício Val/Vipcomm


Ainda falei com uma das lojas do Armazém Paraíba, onde fui informado que a empresa foi precavida e reforçou o estoque no fim de ano. Pelo menos na loja do Dirceu ainda existem camisas rubro-negras, mas já de uma segunda remessa. A primeira, está nas ruas.

Uma camisa oficial custa entre R$ 130 e R$ 160, dependendo do modelo. Na loja oficial do Flamengo na Internet - www.mundoflamengo.com.br - só há pré-venda da edição comemorativa, e as antigas estão sendo ofertadas com desconto.

Inflacionadas foram as bandeirinhas de carro. Na penúltima rodada, você comprava por R$ 5. Na semana seguinte, R$ 8 ou duas por R$ 15. No fim de semana da final, não se achava nas ruas por menos de R$ 10 a unidade.

Futsal: cinco finais no dia 18 de dezembro

Você já está pronto para conferir as finais do Campeonato Piauiense de Futsal hoje à noite? Está?

Pois fique quietinho aí mesmo, foi tudo adiado!

A Federação Piauiense de Futebol de Salão - FPFS - adiou a decisão das 20h de hoje entre Ceut e Piauí para o dia 18, no mesmo horário, no ginásio Verdão.

A diferença está no que vem antes desta final: outras quatro finais, com início previsto para as 17h:

Sub-9: Ajax x Sinopse
Sub-15: Fundação Garra x Liga Timonense
Sub-17: Fundação Garra x Sinopse
Feminino: Cefet x Fundação Cidadania (Timon)

Ontem, foram definidos os finalistas do Sub-15. O Fundação Garra venceu o São José por 5 a 1, enquanto o Liga Timonense passou pelo Max Kolbe por 2 a 1.

Sul-Americano de Badminton no Piauí? Sim!

Uma boa notícia para começar o dia.

Depois de retornar da Colômbia, onde os piauienses conseguiram cinco medalhas no Sul-Americano Júnior no fim de novembro, o presidente da Federação de Badminton do Piauí me contou uma bomba. Francisco Ferraz se acostumou a me dar boas notícias, mas essa foi demais.

O Brasil foi confirmado como sede do Sul-Americano Júnior de 2010. Empolgada com a primeira medalha de ouro individual de um nordestino no torneio, do teresinense Vinícius Evangelista, a Confederação Brasileira perguntou para o Ferraz: "vocês podem sediar esse Sul-Americano no Piauí?"

- Eu disse que sim! Eu sou louco, sempre me meti a fazer o que muitos duvidavam. Vamos lutar pra fazer!

Perceberam o tamanho da responsabilidade? Alguém aí lembra do Piauí ter sediado alguma competição oficial internacional de esporte olímpico? Só o Piauí Open Tênis, no ano passado, que deu pontos no ranking mundial aos vencedores.

O Brasil quer, o Piauí também. Então, tudo certo? Ainda não.

Faltam quadras oficiais de Badminton no país. Imagine no Piauí. Um ginásio precisa ser adaptado, talvez o do Sesc Ilhotas, já usado para torneios regionais. Para se ter uma ideia, como a peteca voa alto, a iluminação no teto precisa ser revista.

E tudo isso precisa ser feito para uma inspeção internacional, que irá verificar a estrutura da cidade para dar aval ao torneio. Teresina deverá receber uns 200 atletas de 10 países. Hotéis lotados por uma semana.

Hora de buscar apoios, trabalhar, e torcer. O trabalho feito no Piauí já merece isso.

Judô no Japão... Nível elevado ao cubo

Madruguei. Acabo de ver o primeiro dia lutas do Campeonato Japonês de Judô.

Ops, do Grand Slam de Judô de Tóquio. É que são tantos japoneses nas finais que mais pareceu um campeonato local.


Repare no olhar de desespero do de azul levando a queda do japonês... Sem chance

A Federação Internacional organiza quatro Grand Slams por ano, um deles no Brasil, e todos com muitos pontos no ranking mundial. Em cada um deles, o país sede tem direito a inscrever quatro atletas.

Nesta sexta-feira, foram quatro categorias, com quatro japoneses campeões e dois vice-campeões  (sim, duas finais entre japoneses). Dos 16 que foram ao pódio, 10 estavam em casa.

Maria Suelen (acima de 78kg) não passou da primeira luta. Mayra Aguiar (até 78kg), também. Felipe Kitadai (até 60kg), a mesma coisa. Leandro Cunha (até 66kg) ainda  venceu duas e foi para as oitavas-de-final. Perdeu para um japonês.

E não é só isso. Como os japoneses estão brigando para ver quem fica na dianteira do ranking para representar o país nas Olimpíadas de 2012, o nível das lutas está muito alto. Muito mesmo. Isso sem contar o prêmio de 5 mil dólares ao campeão...

Aposto em Sarah Menezes no pódio. Final, talvez. Título, também é possível. Mas vai ser muito difícil. E nada nunca foi fácil, não é mesmo?

As lutas da categoria até 48kg começam às 3h30 da manhã (horário de Teresina), na madrugada de sábado para domingo. O Sportv transmite.

Momento cruel nos gramados: sair do campo para "ir ao banheiro"

A vítima do chamado da mãe natureza foi o goleiro alemão Jens Lehmann. Na quarta-feira, o seu Stuttgart jogava contra o Unirea Urziceni, da Romênia, pela primeira fase da Liga dos Campeões da Europa. O alívio dele veio atrás da placa de publicidade. O da torcida, só depois que ele voltou para o gol, pois o time adversário estava atacando.

Vitória de 3 a 1 para o Stuttgart.
 

Beba, meu filho. Cerveja, pode.

Corinthians, Palmeiras, Santos, e São Paulo lançaram o G4 na última quarta-feira.

Antes que algum torcedor de outro clube levante a mão, eu concordo: vamos deixar de chamar o grupo dos quatro primeiros colocados dos campeonatos de G4 para não confundir a coisa.

A parceria é milionária e vai render aos clubes uma bolada paga pelos patrocinadores. O acordo vai até 2014.

Na camisa que une os clubes, logomarcas de refrigerante e cerveja. E o pedido de todos para que bebidas leves, como cerveja e champanhe, sejam liberadas nos estádios. Tudo abençoado pelo padre Marcelo Rossi.

Luiz Pires/Vipcomm


"As bebidas fermentadas são toleradas pela igreja. O problema está nos destilados", disse o padre.

Essa parte não pegou bem. Não mesmo. Autoridades em segurança já criticam. Se o G4 nasceu querendo mostrar seu poder, pode ter se exaltado um pouco.

Agora, em verdade vos digo: adianta proibir cerveja no estádio para diminuir a violência se o cara bebe todas na barraquinha do lado de fora?

Posts anteriores