Cidadeverde.com
Geral

Jornal do Piauí debate penas para condenados por estupro

Imprimir
O Jornal do Piauí desta sexta-feira (15) realizou um debate com especialistas na área criminal sobre os frequentes casos de abusos sexuais cometidos contra crianças e adolescentes no Estado do Piauí.

Fotos: Evelin Santos/Cidadeverde.com
 

Os convidados foram Vilma Alves, delegada da mulher, Joaquim Magalhães, advogado do direito penal, bem como o apresentador “Galego”. Eles tiveram a oportunidade de expressar sua opinião em relação às punições adequadas para quem cometer esse tipo de crime.

 
A delegada Vilma Alves declarou que é a favor da castração química (diminuição da libido sexual através de aplicação de hormônios femininos), pois acredita que só assim os crimes poderão ser impedidos.
 
“Eu me recordo que em 2010 um dos casos que mais chocou a nós que trabalhamos na delegacia da mulher, foi uma menina de 10 anos que foi estuprada pelo próprio pai que era separado da mãe e dividia a guarda da criança. Lembro que ela nos disse chorando: “Eu nunca imaginei que meu pai pudesse fazer isso comigo”. É horrível a gente ter que ouvir isso”, disse a delegada.

 
O apresentador “Galego” acredita que nesses casos a pena de morte seria a mais adequada. “Para mim esse é um crime hediondo, que muda totalmente a vida da pessoa que passa por isso. Nossos governantes não podem pecar por omissão, pois eles devem criar leis que punam de maneira drástica esses criminosos”, diz.
 

O advogado Joaquim Magalhães informou que o código penal brasileiro passou por algumas mudanças. “Antes para que fosse considerado de fato crime teria que haver a penetração vaginal, mas agora atos libidinosos, como toque, dependendo das circunstâncias já podem ser considerados crime”, ressaltou.
 
Joaquim Magalhães acredita que o código penal brasileiro deva realmente passar por mudanças o mais breve possível. "Nosso código é o mesmo há 72 anos. Está havendo um estudo para que haja um equilíbrio penal, pois hoje quem roubar um cosmético irá receber uma punição maior do que quem comete um crime doloso (quando há intenção de matar)", finalizou.

Geísa Chaves (especial para o Cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com
Tags: estupro
Imprimir