Cidadeverde.com
Geral

Piauiense militante do MST é assassinado a tiros no Pará

Imprimir
O piauiense e líder do MST no Estado do Pará foi assassinado a tiros. Mamede Gomes de Oliveira, 58 anos, conhecido como "seu Mamede" foi morto dentro de sua residência na região metropolitana de Belém, com dois tiros disparados. O acusado é  Luis Henrique Pinheiro, preso logo após o assassinato. 


Nascido no Piauí, ele ainda criança foi para Pedreira, no Maranhão, e logo depois veio para o Pará. 

Atuou nas comunidades Eclesiais de Base (CEBs), no município de Ananindeua, antes de ir para a ocupação da Fazenda Taba em 1999, hoje Assentamento Mártires de Abril. Neste período, se tornou militante do MST.

Grande lutador e defensor da Agroecologia, nunca abandonou a luta. Tinha certeza de como faria a sua ofensiva ao capital e sempre foi um bom dirigente e educador.

Segundo o site do MST, Mamede era uma grande referência na prática da Agroecologia e criou o Lote Agroecológico de Produção Orgânica (Lapo), onde desenvolvia experiências de agricultura familiar para comercialização e consumo próprio.

“Mamede Gomes de Oliveira não foi apenas mais uma vítima da violência banal, como a grande imprensa do estado do Pará está tratando o caso. O MST exige que o assassinato de “seu Mamede” seja apurado e que este caso não fique impune”, diz a nota do MST.



Flash Yala Sena (com informações do MST)

Imprimir