Cidadeverde.com
Esporte

Suor, dores e muito sacrifício para conquistar títulos no judô

Imprimir
"Fiz muito pouco do que um adolescente está acostumado a fazer. Precisei abdicar de muitas coisas para focar totalmente nos treinamentos e aí alcançar um nível internacional." É desta forma que o medalhista de bronze em Atenas/2004 e Pequim/2008 Leandro Guilheiro definiu sua trajetória no judô. Seu exemplo demonstra que o caminho para o sucesso é repleto de muito sacrifício.


Luis Shinohara, seu técnico na equipe nacional, vai além para demonstrar o que é preciso para que um praticante se transforme em um campeão. "A superação faz parte do dia a dia. Você vai sentir dores constantes, vai pensar em abandonar tudo a cada treino. É necessário ter perseverança e vontade para se aperfeiçoar a cada movimento e buscar a perfeição."

Tiago Camilo, que também subiu ao pódio olímpico em Sydney/2000 e Pequim/2008, adverte que o aprendizado é muito difícil. "O caminho para se tornar um grande campeão é muito longo. Não se pode pular etapas. Paciência e humildade para aprender com os mestres são essenciais."

Leandro diz que o trabalho feito atualmente fora dos tatames é primordial. "Não basta treinar e ir para casa. A ciência nos mostra a direção que se deve tomar nos treinos. A melhor alimentação é indicada pelos nutricionistas. Não basta ter técnica. A parte física possui o mesmo grau de importância na formação do judoca diferenciado."

Após essas dicas, fica fácil entender uma frase dita por professores antigos aos seus alunos. "Se vocês conseguiram lavar a cabeça após o treino é porque não se esforçaram", diziam os mestres, indicando que seus alunos não haviam feito força com os braços e por isso conseguiam elevá-los.


Fonte: Estadão
Imprimir