Cidadeverde.com
Últimas

Pioneiros: PF acha R$ 32 mil sob colchão em casa do bando

Imprimir
O superintendente da Polícia Federal, Nivaldo Farias, informou que mais operações como essa serão realizadas em Teresina para combater o tráfico de drogas. Segundo o superintendente o objetivo da PF é, senão acabar, mas minimizar esse tipo de crime na sociedade piauiense.


Ele disse que a apreensão de 200 quilos de drogas foram realizadas durante os 14 meses de investigação e nesta sexta-feira(10) foi encontrado R$ 32 mil debaixo do colchão, em uma das casas onde estavam um dos presos. Ao todo, a polícia federal estima que o patrimônio da quadrilha era de cerca de 2,5 milhões. 


“Também localizamos armas em uma parede falsa, o que se percebe que a quadrilha tinha a preocupação que poderiam fazer buscas na casa”, destacou o superintendente Nivaldo Farias.


A casa estava localizada no Portal da Alegria, zona Sul de Teresina e se destaca das demais do conjunto popular. Com muro alto e cerca elétrica era um dos quartéis de João Alves, o Velho Zeza, acusado de ser o líder da quadrilha que atuava há 20 anos em Teresina e região. Ainda havia mais 23 imóveis espalhados pelas cidades de Uberlândia (MG), Caldas Novas (GO), São Luís (MA), Imperatriz (MA) e Teresina (PI).



O delegado Carlos Alberto Ferreira, chefe da Delegacia de Repressão às Drogas da PF no Piauí, afirmou que as casas, tanto a do Portal da Alegria, quanto a do Lourival Parente, foram reformadas especialmente para servir tráfico de drogas. 


Homicídios

Farias revelou ainda que homicídios aconteceram por conta da briga pelo tráfico. “O objetivo do traficante é o lucro, mas quando uma quadrilha invade a área do outro, eles ficam matando uns aos outros e até parentes, deixando o lucro até para segundo plano”, explicou o superintendente.

Ele afirmou que as investigações dos homicídios devem ser repassadas à Delegacia de Homicídios, assim que o juiz da 7ª Vara Criminal, Almir Adib Tajra, autorizar. 

Veja cobertura completa:



Caroline Oliveira
Imprimir